Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Virei uma massagista de sucesso em 2 meses

Abandonei uma carreira estável para fazer massagens relaxantes que melhoram a qualidade de vida

Por Redação M de Mulher Atualizado em 21 jan 2020, 05h04 - Publicado em 24 nov 2009, 21h00
Virei uma massagista de sucesso em 2 meses

Hoje tenho meu próprio espaço de 
massagem e faço em média 12 sessões 
por semana
Foto: arquivo pessoal

Eu já estava com 38 anos e ganhava bastante dinheiro como arquiteta. Mesmo assim, não me sentia nem um pouco realizada. A minha vida virou de cabeça pra baixo no dia em que assisti uma palestra sobre massagem e linguagem corporal. O toque dos dedos, o movimento, o que está por trás de cada gesto… Fiquei encantada! Tanto que na semana seguinte assisti a mesma palestra novamente, na primeira fila. O palestrante, um japonês chamado Seiji, percebeu a minha euforia e me procurou no final. Ele me convidou pra fazer um curso de massoterapia.

Topei na hora. Na semana seguinte, eu estava na clínica dele para aprender os movimentos. Naquela época, em 1979, não havia nem camas de massagem, era tudo em esteiras no chão, mesmo. O Seiji confiou em mim desde o primeiro dia. Ele dizia pra todo mundo que eu seria uma grande massagista. O curso durava seis meses, mas já no segundo ele me chamou para atender na clínica. Joguei minha carreira para o alto e decidi viver da massagem.

É necessário se preparar

A profissão de massagista exige preparo físico e teórico: é preciso conhecer bem as técnicas e ter muita sensibilidade para aplicá-las com eficiência. Por isso, é importante fazer um curso em alguma escola séria para praticar e dominar os principais movimentos. Lá, também vão ensinar exercícios que fortalecem a musculatura dos dedos. Esse treino é muito importante, principalmente pra quem está começando agora.

Há muitos tipos de massagem. Elas são divididas em estéticas e terapêuticas. As estéticas, como a drenagem linfática, previnem e tratam problemas como a celulite e a retenção de líquido no corpo. Já as terapêuticas são baseadas em técnicas da medicina oriental. Elas não substituem o eficiente trabalho dos médicos, mas podem ser usadas como terapia complementar no tratamento de doenças. Além disso, podem ser aplicadas simplesmente para relaxar e aliviar as tensões do corpo.

Tem que ter amor pelo trabalho

Fazer um curso é importante, mas não basta preparo técnico para ser uma profissional de primeira. É preciso lidar com as pessoas com amor, respeito e muito, muito cuidado. De nada adianta tocá-las como se fossem máquinas. Massagem é troca, e ter entusiasmo no trabalho faz toda a diferença. Só assim os clientes voltam.

E o equipamento de trabalhar é básico: uma cama de massagem e mãos bem preparadas. Não é necessário ter registro no Conselho Regional de Medicina ou em outro órgão de controle, mas vale a pena se cadastrar como trabalhador autônomo e pagar impostos. Só assim você conseguirá receber benefícios sociais como a aposentadoria.

Abri a minha clínica e nunca a anunciei para divulgar meu trabalho. É a propaganda boca a boca dos clientes satisfeitos que mantém meu negócio e garante meus R$ 5 mil no final do mês.

A sessão de uma hora custa R$ 120

Cobro R$ 120 pela hora de massagem em um bairro nobre de São Paulo. O valor depende da localização da clínica e também da experiência e da qualificação da massagista. Eu, por exemplo, não parei no curso que fiz no início da carreira. Também me inscrevi em aulas de acupuntura, quiropraxia, massagem relaxante e até cursei uma especialização em shiatsu no Japão. Depois de 30 anos como massagista, nunca me arrependi da decisão que tomei depois daquela palestra.

Continua após a publicidade

A maior parte das vagas está nas clínicas e no atendimento em casa

Roberto Lima, diretor do Centro de Estudos do Corpo e Terapias Holísticas, esclarece as principais dúvidas de quem quer trabalhar como massoterapeuta.

Não é necessário diploma

A profissão não é regulamentada, mas é necessário fazer cadastro de trabalhador autônomo.

Há muitos locais para trabalhar

Além de montar o seu próprio espaço de atendimento, é possível também atuar em domicílio ou em hospitais, academias, hotéis, spas e empresas. No dia 13/11/2009 havia 83 vagas disponíveis na agência Catho Online. No entanto, a maior parte das oportunidades está na abertura de clínicas e no atendimento doméstico.

O mercado está crescendo

Com o aumento das doenças relacionadas à ansiedade e ao estresse, o mercado para massagistas e outros terapeutas cresceu. Os médicos passaram a recomendar essas práticas como tratamentos complementares. A tendência é que cada vez mais pessoas procurem massagistas para aliviar os problemas ligados ao trabalho e a doenças.

Minha sessão de shiatsu dura 1 hora

. Começo pelas costas
O ambiente precisa estar arejado, e a luz, baixa. Começo com movimentos circulares no pescoço e na parte de cima das costas.

. Braços
Aperto o braço com cuidado. Quando encontro um ponto de tensão, concentro a massagem lá. É como acupuntura sem agulha.

. Pernas e pés
Capricho nos pés, é a parte que os clientes mais gostam de fazer. Vale a pena usar um oleozinho de massagem nesse hora.

. Termino no rosto
A cabeça é importante para o equilíbrio das emoções. Concentro os movimentos na região da testa. O cliente sai novinho em folha.

Continua após a publicidade
Publicidade