Cabelo elástico: dicas para acabar com o efeito emborrachado

Saiba como driblar o efeito chiclete das madeixas elásticas e recupere a saúde e beleza dos fios

Você puxa o fio do cabelo e ele fica franzido, sem voltar ao normal. Com uma só passada de pente, ele se quebra. Esse é o feito conhecido como cabelo elástico, que acontece quando o fio perde queratina, proteína e pigmento e se torna tão fino e poroso que pode se quebrar facilmente.

“Madeixas elásticas, geralmente, são consequência das agressões causadas por excesso de tratamentos químicos, como alisamento ou descolorações radicais”, explica Douglas Ambrosio, hairstylist do salão Glass Hair, de São Paulo. “Tais procedimentos destroem a microfibra dos fios e os deixam com aspecto emborrachado”.

Como cuidar
O primeiro passo é abandonar tratamentos químicos e evitar secador e chapinha. “Para recuperar os fios é preciso reconstruir suas camadas e aumentar sua massa. Produtos com queratina e aminoácidos vão deixar as madeixas mais encorpadas e rígidas”, analisa Douglas. “Cauterização e reposição de queratina em salões especializados também são indicados. O tratamento deve ser feito a cada 15 dias”. Óleos essenciais, como os de argan, também ajudam a refazer a camada de proteção capilar. Tenha paciência: a revitalização total das mechas pode demorar de cinco meses a um ano.

Depois que o cabelo recuperar sua massa, é hora de investir na hidratação. Produtos à base de ureia nutrem e retêm a água nos cabelos. Intercale o tratamento no salão, a cada 15 dias, e em casa, pelo menos duas vezes por semana, com máscaras hidratantes que agem durante o banho.

Como evitar que o efeito volte
Para livrar os fios de novas agressões é preciso manter alguns cuidados básicos:

– Prefira um pente de madeira com dentes largos e escove os fios suavemente.

– Diminua a frequência de uso de secador e chapinha – e nunca esqueça do protetor térmico. O calor desses aparelhos retira a pouca hidratação que as mechas são capazes de manter.

– Evite fazer processos químicos em um curto espaço de tempo. O ideal é esperar, pelo menos, três meses entre um procedimento e outro para que o cabelo tenha tempo de se reconstruir.