Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Sofia Menegon Sofia Menegon é feminista, idealizadora da podcast Louva a Deusa e consultora em relacionamento e sexualidade

Fazer sexo com a mesma pessoa pode ser mais gostoso

A colunista Sofia Menegon explica como uma relação duradoura pode reservar tesouros especiais entre quatro paredes

Por Da Redação Atualizado em 19 ago 2021, 14h10 - Publicado em 19 ago 2021, 18h00

Quem nunca viveu tempos de inverno no relacionamento que atire a primeira pedra. Não há como negar que, depois de anos convivendo com a mesma pessoa diariamente, em uma rotina estressante e com diversos “pepinos” para resolver, o sexo possa virar algo mecânico e tedioso.

Nessas fases, é comum fantasiar relações íntimas com outras pessoas, sejam elas reais ou imaginárias. E aí, surge o questionamento: “será que a minha vida sexual seria melhor se estivesse solteira?”. Não há como fugir desse pensamento e, aliás, é importante mesmo que olhemos de frente para ele.

Encarar os momentos desafiadores da relação, com coragem, nos permite fazer os movimentos necessários para encontrar soluções. E elas existem. Mas, hoje, quero convidá-la a contemplar comigo as vantagens de fazer sexo com a mesma pessoa por anos e anos. Vamos lá?

Intimidade

É verdade que o excesso de intimidade pode esfriar a nossa atração sexual pela outra pessoa. Mas, por outro lado, também nos permite dizer e fazer aquilo que muitas vezes nos deixaria acanhadas numa relação casual.

Sabe aquela fantasia que você só conseguiu revelar para a sua parceria de anos? Então, essa intimidade tem o potencial de tornar o sexo mais livre e, consequentemente, mais gostoso também.

Continua após a publicidade

Fluidez

Depois de tanto tempo transando com a mesma pessoa, a gente vai conhecendo os pontos que mais dão prazer para um e outro, as posições que encaixam melhor, as palavras que levam a nossa parceria a outra dimensão.

Os acordos de como vai acontecer também estão implícitos. Tudo isso possibilita uma troca muito mais fluida, sem tantos receios, sem tanta necessidade de provar algo. É permitido curtir sem moderação e sem preocupações.

Conexão

E por ser mais fluida e livre, essa relação também costuma propiciar uma conexão muito mais profunda do que o sexo casual. E não estou falando apenas da conexão romântica, mas da conexão carnal e energética. Entretanto, isso só acontece quando o casal se compromete com esse tempo a dois de corpo e alma.

Então, em fração de segundos é possível sentir circular pelo corpo diversas emoções. Você ri, chora, grita, ri outra vez. A relação sexual passa a ser mais que uma descarga elétrica: passa a ser afeto, carinho e cura.

Fazer sexo com a mesma pessoa pode sim ser muito mais gostoso, profundo e transformador, mesmo depois de tanto tempo. Desde que haja intenção, vontade, comprometimento e muito respeito, a vida sexual dentro do casamento não é sinônimo de tédio e mesmice, mas um convite para elevar o prazer a outro patamar.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade