CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS
Sofia Menegon Sofia Menegon é feminista, idealizadora da podcast Louva a Deusa e consultora em relacionamento e sexualidade

Pare de reproduzir esses 5 mitos sobre a bissexualidade

"O mundo ganha cor quando a gente se permite deixar para trás construções que já não servem mais", afirma a colunista Sofia Menegon

Por Sofia Menegon 17 jun 2021, 12h33

Junho é o mês do orgulho LGBTQIA+, um mês em que não apenas celebramos a nossa existência, mas também em que direcionamos os holofotes a questões importantíssimas sobre a luta da nossa comunidade. É sobre dar visibilidade àqueles, àquelas e àquelus que são frequentemente invisibilizados.

Por isso, hoje, vamos falar sobre o B da questão. Por mais que trilhemos os oceanos da militância há bastante tempo, ainda tem muita gente que não compreende o significado dessa letrinha. Bissexualidade é a orientação afetiva e sexual de pessoas que se interessam por mais de um gênero.

Sim, existimos e estamos bem cansadas dos mitos que circulam fora e, até mesmo dentro, da comunidade LGBTQIA+ a nosso respeito. Vamos desmistificar? Aí vão algumas frases comuns e mergulhadas em bifobia que não devemos reproduzir:

1- “É só uma fase” 

Ainda que a questão “sexualidade” possa ser de fato complexa e levar anos ou até uma vida inteira para ser compreendida com profundidade, não cabe a ninguém questionar a orientação ou identidade sexual afirmada por outra pessoa. É possível sim se sentir atraída afetiva e sexualmente por mais de um gênero.

2- “Tá em cima do muro”

Algumas pessoas realmente se entendem como bissexuais antes de se perceberem como gays ou lésbicas. Mas isso está longe de ser uma regra. A bissexualidade é uma orientação tão legítima quanto qualquer outra.

Continua após a publicidade

3- “Diz que é bi, mas só namora com homem/mulher”

Ser bissexual não quer dizer que sintamos o mesmo tipo ou intensidade de atração sexual por todos os gêneros de interesse. Inclusive, pode ser que essa atração seja fluida ao longo da vida, permitindo que estejamos mais interessadas em um gênero em um momento, e em outro depois. Além disso, dizer que precisamos comprovar a nossa sexualidade firmando relações com esse ou aquele gênero é bastante preconceituoso, não acha?

4- “É bi porque ainda não teve experiência com o cara certo”

Para começo de conversa, essa é uma ideia bastante machista e impõe que apenas um homem poderia ser objeto de desejo ou afeto de uma mulher. Mas a verdade é que não é necessário ter experiências sexuais e afetivas com homens para confirmar a orientação afetiva e sexual, seja ela bi, lésbica ou hétero.

5- “Bissexuais não conseguem ser fiéis”

Atrair-se por mais de um gênero não interfere na capacidade de cumprir com pactos e acordos estabelecidos. Portanto, se há um pacto de monogamia na relação, as chances de uma pessoa bissexual romper com esse acordo é exatamente a mesma de uma pessoa heterossexual ou homossexual.

É comum que sintamos receio daquilo que não conhecemos muito bem, mas isso não pode significar destilar ódio e preconceitos por aí. Então, se a bissexualidade ou qualquer outra letra da sigla ainda te causar incômodos e estranhamentos, busque mais informações. Mas faça isso de peito aberto, com disposição para aprender. O mundo ganha cor quando a gente se permite deixar para trás construções que já não servem mais.

Continua após a publicidade

Publicidade