Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Conversa de Vó Natália Dornellas é jornalista, podcaster e ativista da longevidade. Procura por avós e avôs para prosear e histórias de #avosidade para contar. É criadora do podcast Conversa de Vó e cofundadora da plataforma 40+ AsPerennials

Vó Selvina é puro #cottagecore

Conheça a Dona Selvina Gomes, de 103 anos, a vó "influencer rural"

Por Natália Dornellas 28 Maio 2021, 13h45

Se você tem tido vontade de voltar para o campo ou se refugiar nele, já foi contaminado pela onda cottagecore, que vai tomando conta do mundo, em tempos pandêmicos e virou até hashtag. Pois a personagem de hoje é prova de que, de repente, todo mundo no mundo resolveu querer e valorizar a tal “casinha branca de varanda” no sítio. 

A história é mais ou menos assim. Dona Selvina Gomes, de 103 anos, vivia na cidade, mas teve que se refugiar na chácara da família, em Porto Alegre, interior Tocantins, quando a quarentena chegou, e, como já virou costume entre as vovós que ganharam a internet, teve sua rotina registrada e postada pelo neto, Ackson.

 A fama veio quando um vídeo dela plantando uma muda de laranja foi compartilhado pelo perfil Agro do Brasil (@agro_dobrasil), no Instagram, e performou, chegando a   1,4 milhões de visualizações.

Reprodução
Reprodução/CLAUDIA

Considerada uma das moradoras mais antigas da cidade, Dona Selvina já trabalhou muito nessa vida, e até hoje faz questão de pôr a mão na massa, descascar pequi, uma tradição da região, alimentar as galinhas e fazer a ronda pela propriedade.

Sua rotina também inclui horas à frente da TV, onde acompanha as novelas e noticiários. “Ela é muito lúcida, gosta de brincar, de dançar, de contar sobre os anos de juventude. Gosta das novelas, sabe a hora que elas vão passar, assiste jornais e tem admiração pelo Luciano Huck e pela Fátima Bernardes”, conta o neto.

Fato é que essa vó “influencer rural” não faz dancinhas ousadas, piadas e estripulias. Foram a simplicidade de sua história e os muitos anos vividos que chamaram a atenção e conquistaram o coração dos seguinetos. Simples assim.  

Para ver mais histórias com esta e acompanhar minha “curadoria de avós e avôs”, acesse nataliadornellas.com.br ou @nataliadornellas, no Instagram. Ah, e se conhecer personagens que mereçam ter suas vidas contadas aqui, me deixe saber.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade