Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Kika Gama Lobo Por Atitude 50 Focada na maturidade como plataforma pessoal, a jornalista Kika Gama Lobo escreve sobre as sensações e barreiras que as mulheres de 50 anos vivenciam

Silicone no pênis

"Comprem logo seus vibradores e ressignifiquem sua sexualidade", aconselha a colunista Kika Gama Lobo

Por Kika Gama Lobo Atualizado em 18 ago 2021, 18h11 - Publicado em 18 ago 2021, 17h00

Amiga, já ouvi de um tudo nessa vida, mas essa semana uma querida sessentona foi ao meu bazar (estou sempre inventando um dinheiro extra) e papeamos sobre o seu ex-marido. Juntos viveram quase 40 anos no maior respeito e se separaram amigavelmente, nenhum barraco.

Até ela descobrir que ele a trocou por uma cafona de 24 anos. Aquele clássico, né? O intrigante pra ela é que seu homem já não dava muito no couro e mesmo sendo sugar daddy para a mocinha, ficou pensando sobre o rala e rola do novo casal de pombinhos. Maridos 60+ com pênis flácido e sem muito “enchimento” optam cada vez mais pela cirurgia de prótese peniana.

Foi o caso dele. Parece que é razoavelmente simples e o sujeito ganha um volume aparente na calça comprida e uma performance na cama já que é ideal para homens que não podem tomar viagra.

Tem um cartão de visitas mais avantajado e , nessa idade, qualquer espuma vira sabonete em barra, entenderam a piadinha? Porém o intrigante é que – ainda casados com suas mulheres de origem, muitas 50+, eles omitem delas a cirurgia oferecendo-as uma semaninha num spa na serra ou alugam uma casa em Búzios para a mulher ir com suas amigas.

Nesse meio tempo eles engordam o pirulito e fazem um teste drive com as horizontalmente disponíveis. Testada a prótese que garante ereção e não cancela a ejaculação, eles voltam pro mercado sexual dando uma banana para as suas esposas.

Então fiquem atentas. Se seus maridos sessentões virarem – do dia pra noite os homens mais generosos do mundo já sabe: tem silicone no pau! Dica da Kika: comprem logo seus vibradores, ressignifiquem sua sexualidade e passem a olhar os homens na obra. Em tempos de mulheres de Cabul, temos que aproveitar a nossa liberdade ao máximo.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade