Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês
Kika Gama Lobo Por Atitude 50 Focada na maturidade como plataforma pessoal, a jornalista Kika Gama Lobo escreve sobre as sensações e barreiras que as mulheres de 50 anos vivenciam

Me visto de mim

Depois de tantos meses em casa, quero olhar pra mim, quero rezar por mim, quero investir em mim

Por Kika Gama Lobo - Atualizado em 13 ago 2020, 10h14 - Publicado em 13 ago 2020, 11h00

A travessia é longa. Ia durar 3 meses. Já estamos quase no fim do ano. Nada de vacina, apesar de russos, chineses, americanos e até brasucas estarem na corrida da pergunta de de milhões de dólares: quando vamos erradicar o vírus?

E nesse ramerrame de marchas-rés de nossos banais cotidianos, vamos vivendo. Uns aproveitando o tempo livre pra fazerem diferente, eliminarem os erros da existência e outros só no intox da ignorância, engordando seus egos com “você não sabe com quem está falando” ou bradando “ você tem inveja da minha vida” enquanto assistimos – bestializados – à banalização desse abismo social – trampolim para excessos e delírios.

E a vida segue. Os cabelos mais brancos, a tristeza da morte do Piva, minhas filhas ingressando na selva da sobrevivência e eu pensando mil caraminholas. Desde as importantes como meu sustento sem emprego, até delírios como um dia visitar o Marrocos. Tenho essa obsessão por mesquitas.

No mais, estou seguindo. Decidi que pouco verei noticiário, reduzi minhas leituras, mas aumentei a realização das minhas #kikalives e decidi ficar um pouco egoísta . Não me apedrejem. Pensei tanto no outro, ajudei no que pude àqueles perto de mim, rezei para quem não conhecia e mandei good vibes para o planeta. Mas agora quero voltar pra mim num retorno umbilical àquela que deixei pra trás por displicência, fadiga ou burrice. Narciso agora mora em minhas veias e quero olhar pra mim, quero rezar por mim, quero investir em mim. Vai julgar?

 

O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

 

Continua após a publicidade
Publicidade