Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

A vitamina C está repaginada e se apresenta em novos produtos

Ela vai além dos cosméticos faciais, como os corporais e capilares, sem perder suas características

Por Carol Salles 6 jan 2018, 14h04

Um belo copo de suco de laranja resolve (quase) tudo, já diziam nossas avós. E não é que elas tinham razão? Estudos comprovam que a vitamina C (substância encontrada em várias frutas cítricas e em outros alimentos) é capaz de fazer milagres por nossa saúde – desde melhorar a circulação sanguínea e o sistema imunológico até proteger o coração.

Não é de surpreender que ela seja também uma grande parceira da beleza. E foi na categoria antissinais que ganhou fama, lá na década de 1960, muito antes de outros ingredientes consagrados, como o ácido retinoico, usado para tratar rugas e manchas.

A potente ação antioxidante (que barra a atividade dos radicais livres, moléculas que aceleram o processo de envelhecimento celular) foi o que manteve a vitamina C no posto de aliada da pele desde então. Como ativo cosmético, no entanto, sempre representou um desafio para os pesquisadores. “Já ouviu falar que o suco de laranja deve ser tomado fresco? Em contato com a água, o ar, o calor ou a luz, as micropartículas dessa vitamina se degradam com muita facilidade e perdem características benéficas essenciais”, afirma Vânia Leite, professora de cosmetologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O farmacêutico Lucas Portilho, diretor científico da Consulfarma, em São Paulo, completa: “Quando os primeiros cosméticos com o ativo começaram a surgir no Brasil, eles sofriam alterações químicas para preservar seus atributos”.

A solução parecia perfeita naquele momento. Mas a nova geração de produtos que pipocou no mercado este ano veio para mostrar que pode ser ainda melhor. Trata-se da encapsulação do ácido L-ascórbico (a vitamina em sua forma pura), que permite que o ativo seja entregue em microcápsulas. “Além de garantir a estabilidade da fórmula e evitar sua degradação da vitamina, a novidade ampliou o aproveitamento e a capacidade de permeabilização, essencial para que possa agir nas camadas mais profundas da pele”, explica Vânia.

Possibilitou ainda a inclusão de maior concentração de vitamina C nos produtos. Se antes ficava entre 6% e 15%, agora chega a 30%. Hoje o ingrediente é encontrado não só em cosméticos faciais mas também corporais e capilares, além de protetores labiais. Mas o envelhecimento precoce do rosto continua sendo o foco. A indicação, que pode variar de pessoa para pessoa, é de uso diário. Pela manhã, antes do protetor, e à noite, após a limpeza facial. Listamos as quatro funções mais importantes desse superingrediente.

Combate os agentes agressores

O envelhecimento é um processo comum e irrefreável que, no entanto, pode sofrer interferência de fatores externos, como poluição, radiação solar, stress e tabagismo. Eles ativam a produção dos radicais livres, que aceleram o envelhecimento do organismo. Na pele, isso se manifesta com o surgimento precoce de manchas, rugas, flacidez e falta de viço. “A vitamina C entra como um exército de defesa, neutralizando a ação dessas moléculas”, explica a dermatologista Fernanda Casagrande, de Florianópolis. Assim, consegue-se impedir consideravelmente a oxidação celular e manter a pele lisa por mais tempo.

Continua após a publicidade

Leia mais: Descubra a melhor opção de peeling para seu tipo de pele

Reforça o colágeno

Estimular a síntese da substância proteica das fibras (o colágeno) garante a firmeza e a elasticidade da pele. “A vitamina C favorece o trabalho dos fibroblastos (células responsáveis pelo tecido conjuntivo), que passam a atuar ainda mais no crescimento e na reparação do tecido, prevenindo a flacidez”, afirma Fernanda. Além disso, quando combinada com outros procedimentos estéticos, ajuda a atenuar a aparência das estrias.

Leia mais: Estrias, manchas e unhas fracas no pós-parto têm jeito

Participa no clareamento

A atividade exacerbada da melanina (pigmento que dá cor à pele) ocorre quando sua síntese é aumentada por estímulos como a exposição aos raios solares. “A vitamina C inibe e regula a ação da tirosina, aminoácido ligado à atividade dos melanócitos, que produzem a melanina”, diz a dermatologista Juliana Piquet, do Rio de Janeiro. Esse efeito, no entanto, é discreto. Para clarear manchas mais evidentes, é preciso associá-la a outros tratamentos.

Leia mais: Todas as suas dúvidas sobre manchas de sol respondidas

Atua na proteção solar

A vitamina C pode ser usada de dia e é ótima aliada nos períodos mais quentes do verão. Ajuda a amenizar o impacto das radiações UVA e UVB e repara danos como a vermelhidão provocada pela larga exposição à luz solar, pois amplia a capacidade de autodefesa. Mas não substitui o filtro, que forma uma grossa barreira física de proteção na epiderme. E nem tem efeito imediato. A ação é cumulativa. Portanto, o benefício só será conquistado com o uso frequente de um produto que a contenha.

Leia mais: 11 erros que você não pode cometer com sua pele

Produtos indicados

1. Gel Clareador Chronos Pharma, Natura, R$ 123*; 2. Gel Creme Anti-Oxidante C-Supérieur, Roc, R$ 175*; 3. Creme Facial Divine Harmony, L’Occitane en Provence, R$ 690*; 4. Booster Pure Vitamin C 10%, Clinique, R$ 419*; 5. Lip Ice, Mentholatum, R$ 20*; 6. Improve C 30, Dermage, R$ 269*; 7. Hidratante Corporal Melão, Simple Organic, R$ 82*; 8. Esfoliante Facial Vitamin C, The Body Shop, R$ 99*; 9. Concentrado Vitamina C 20, Adcos, R$ 200*; 10. Sérum Concentrado Powerful Strenght, Kiehl’s, R$ 391* Carlos Bessa/CLAUDIA
Continua após a publicidade
Publicidade