CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Tricologista dá dicas para reduzir os danos da descoloração

Descubra os cuidados antes e depois da descoloração que ajudam a diminuir efeitos negativos

Por Da Redação 20 abr 2022, 10h08

A coloração é um dos primeiros recursos quando a ideia é mudar o visual – e muitas daquelas técnicas que fazem sucesso nos salões envolvem um procedimento delicado e que é tido como um verdadeiro vilão da saúde dos cabelos: a despigmentação. Responsável por remover a cor dos fios, ela é praticamente indispensável quando você quer atingir uma cor mais clara em mechas ou em todo o comprimento. Mas, afinal, é possível reduzir os danos da descoloração e manter a saúde dos cabelos?

A descoloração é feita com a mistura de pó descolorante e água oxigenada, uma junção que costuma fragilizar – e muito – as madeixas. “A força química do pó descolorante somada com um oxidante abre as escamas dos fios e penetra em seu interior para retirar os pigmentos. Esse processo acaba também retirando vitaminas, proteínas e aminoácidos”, explica a tricologista Viviane Coutinho. O resultado? Fios ressecados, porosos e com menos brilho, além de mais elásticos e quebradiços.

Prepare o cabelo para a descoloração

Uma das maneiras mais eficientes de reduzir o dano do procedimento químico é fazer um bom preparo dos fios. “Antes de descolorir, é necessário um planejamento terapêutico. Uma reposição lipídica é bem indicada, pois assim repomos ácidos graxos essenciais, promovendo emoliência, saúde e beleza capilar. Invista em óleos vegetais, como o de abacate e macadâmia“, indica. O ideal é investir nessa hidratação reforçada alguns dias antes de visitar o salão para a coloração, já que não deve haver resíduo de óleo durante a descoloração. No dia, use um xampu de limpeza profunda para remover qualquer resquício.

Seja sincera com o profissional

Um dos maiores erros ao ir descolorir os fios é não ser totalmente sincera com seu profissional sobre outras químicas que ainda possam estar ali, já que muitas delas são consideradas incompatíveis e podem até gerar um corte químico. “Toda sobreposição de química causa danos. Se a pessoa tem coloração ou alisamento e coloca uma descoloração no cabelo, por exemplo, aumenta a probabilidade de problemas, assim como cabelos finos e secos”, alerta. Se não tiver certeza do produto utilizado, entre em contato com quem realizou o outro procedimento para ter todos os detalhes.

Depois da descoloração

E, claro, depois de feita a descoloração, é hora de recuperar os danos – mesmo que leves – que ocorreram ao despigmentar: “É preciso reparar os fios. A reconstrução capilar pode ser feita logo após o tingimento dos cabelos. Após o procedimento, os cabelos ficam mais elásticos e fragilizados., então é de suma importância a devolução de elementos como aminoácido e queratina para que a força não seja tão comprometida. A escolha de home care é importante, de acordo com a prescrição dos profissionais.” De acordo com a especialista, também é válido evitar a chapinha e o babyliss por algum tempo, já que o calor pode até alterar a cor, e a exposição ao sal e cloro.

Continua após a publicidade

Publicidade