Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Susan Miller revela o que os astros dizem sobre a pandemia de coronavírus

A famosa astróloga revela o que podemos esperar para os próximos meses

Por Susan Miller - Atualizado em 30 mar 2020, 18h00 - Publicado em 21 mar 2020, 20h00

Pessoas do mundo todo estão se unindo para tentar combater a pandemia do novo coronavírus. China, Itália, Irã, Alemanha e Espanha foram muito atingidos. Assim como Nova York, onde vivo. Por aqui, está tudo muito quieto. Escolas, museus, cinemas, a Broadway, restaurantes e bares estão fechados, e nós, moradores, fomos instruídos a ficar dentro de casa. Nesse meio tempo, pensei muito sobre a Covid-19 e consultei os astros sobre a atual situação mundial.

Neste ano, Plutão e Júpiter estarão em conjunção em Capricórnio em quatro períodos diferentes. Esse é um fenômeno extremamente raro, ocorre apenas uma vez a cada 13 anos. Os dois planetas juntos são muito fortes e podem provocar acontecimentos de grande importância. Isso talvez explique o estado de atenção que o mundo experimenta atualmente. Júpiter ainda é considerado o astro dos milagres, e esse seu lado deve influenciar, ajudando a situação a se acalmar em alguns meses.

A conjunção de Plutão e Júpiter também costuma trazer prosperidade. Por isso, momentos bons chegarão após o fim desta crise. Podem surgir, inclusive, oportunidades financeiras. Mantenha os olhos abertos e aproveite. As medidas tomadas pelos governos ao redor do mundo irão funcionar e, assim que conseguirmos nos livrar do coronavírus, devemos ser agraciados por um período de grande abundância.

No segundo encontro dos planetas este ano, em 30 de junho, os dois estarão em movimento retrógrado e, por isso, terão pouca força. É possível que a intensidade da pandemia se reduza. Ainda assim, não podemos nos descuidar, pois não é certeza de que a Covid-19 será completamente erradicada. Devemos manter os cuidados necessários e continuar seguindo as instruções dos especialistas.

Continua após a publicidade

Muitos cientistas comparam a atual situação mundial do coronavírus com a epidemia da gripe espanhola, que ocorreu entre 1918 e 1920. Mas, apesar da semelhança no céu das duas ocasiões, não é hora de se desesperar. Lembremos que, naquela época, os médicos e cientistas não tinham tanta informação como temos hoje e as lideranças mundiais não haviam determinado que não deveria haver contato entre as pessoas – como estamos procedendo atualmente –, o que fez com que o vírus se alastrasse com grande velocidade.

Tudo o que podemos fazer agora é seguir as recomendações das autoridades e levar um dia após o outro. Aja assim não só pela sua saúde mas também pela das pessoas que ama, especialmente os mais velhos. Apesar da situação terrível, estamos aprendendo a pensar mais no próximo. Portanto, se possível, fique em casa e use o tempo livre para planejar sua vida pessoal e profissional. Pense em maneiras de aproveitar o período próspero que virá depois do fim da pandemia. Ele vai chegar, acredite.

Publicidade