Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Prevenção ao suicídio: No CVV, apoio é gratuito e o anonimato, garantido

Fundado em 1962, é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de Utilidade Pública Federal

Por Isabella Marinelli, Lia Rizzo - Atualizado em 8 jun 2018, 17h25 - Publicado em 8 jun 2018, 16h22

A cada 45 minutos uma pessoa se mata no Brasil. Os idosos são as principais vítimas, mas a epidemia silenciosa acomete os jovens. No primeiro boletim epidemiológico sobre o assunto, divulgado em 2017 pelo Ministério da Saúde, o suicídio consta como a quarta maior causa de morte entre brasileiros de 15 a 29 anos.

Nesta sexta (8), o chef, escritor e apresentador Anthony Bourdain, 61 anos, foi encontrado morto em um quarto de hotel na França. Na terça-feira (5), a estilista Kate Spade, 55 anos, se enforcou em seu apartamento em Nova York.

A medicina descreve o ato como uma série de condições e manifestações comportamentais ligadas à autodestruição. Geralmente, vai além de um impulso para colocar fim em um sofrimento insuportável. Antes de tirar a própria vida, muitos suicidas passam por diversas fases de ideação da morte. Fazem planos, cometem autoagressões, passam para as tentativas até chegar ao êxito. Por se tratar de um processo, a Organização Mundial da Saúde estima que 90% dos casos poderia ter outro desfecho.

No Brasil, é possível contar com o CVV (Centro de Valorização da Vida). Fundado em São Paulo, em 1962, é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de Utilidade Pública Federal, desde 1973. Presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato.

Continua após a publicidade

Caso precise de ajuda ou conheça alguém que precisa, esclareça todas as dúvidas sobre o atendimento:

Qual é o número do CVV (Centro de Valorização da Vida)?

Você pode conversar com um voluntário do CVV ligando para 188 ou 141 (nos estados Bahia, Maranhão, Pará e Paraná). Se em sua cidade não há um posto de atendimento do CVV, você pode utilizar o atendimento por chat e e-mail. Conheça os postos e horários de atendimento aqui.

Quais os horários de atendimento?

Continua após a publicidade

Busque sua cidade e seu Estado para todos os detalhes aqui. Os contatos com o CVV são feitos pelos telefones 188 (24 horas e sem custo de ligação) ou 141 (nos estados da Bahia, Maranhão, Pará e Paraná).

Preciso me identificar quando ligar para o CVV?

O anonimato é garantido. Não é necessário ceder dados, fotos ou qualquer tipo de informação pessoal.

Existe atendimento presencial do CVV?

Continua após a publicidade

Sim. Em um dos 89 postos espalhados pelo país. Confira as localidades aqui.

Posso ligar mais de uma vez para o CVV?

Sim. Quantas vezes precisar. Os voluntários são treinados para conversar com todas as pessoa que procuram ajuda e apoio emocional.

Publicidade