Quando a babá é estrangeira

Babá estrangeira ou brasileira? Veja o que deve ser levado em consideração na hora de escolher alguém para cuidar do seu bebê

Uma profissional de outro país com valores próximos aos seus é melhor do que alguém da vizinhança com uma visão de mundo totalmente diferente
Foto: Getty Images

 

A nacionalidade da babá é o que menos deve importa. São as crenças e os valores da pessoa contratada que influenciam a formação da criança. Antes de contratar, é preciso ter certeza de que a pessoa compartilha dos mesmos princípios que você julga essenciais transmitir ao seu filho. Por exemplo, se a família não é adepta de uma religião e prefere que a criança desenvolva uma visão racionalista da vida, é melhor descartar uma profissional profundamente mística, porque haverá choque de opiniões.

diferenças de hábitos – como a família ser vegetariana e a babá comer carne – são mais contornáveis, desde que ela cumpra suas orientações. Em outras palavras, uma profissional de outro país com valores próximos aos seus é melhor do que alguém da vizinhança com uma visão de mundo totalmente diferente.

Nem a língua deve ser encarada como problema. Pelo contrário. É provável que nesse convívio seu filho aprenda a se comunicar nos dois idiomas, como se tivesse pais bilíngues. Pode até misturar no início, mas a confusão será desfeita naturalmente.

É na seleção de candidatas que você deve se certificar de que a harmonia de opiniões existe. Monte um questionário para a entrevista. Liste os pontos dos quais não abre mão na formação da criança. Inclua o modo como a babá lida com preconceitos, a maneira de impor limites, as convicções religiosas e morais, o conhecimento sobre cuidados de higiene e de saúde… Depois, observe as reações do pequeno no dia a dia. Se ele parece tranquilo, interage com a babá e está sempre bem-cuidado e alegre, tudo indica que deu certo.