Assine CLAUDIA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

“Pote da calma” promete tranquilizar as crianças

Segundo especialistas, os efeitos do pote auxiliam na regulação da frequência cardíaca e respiratória, fazendo a criança se acalmar

Por Ana Carolina Castro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 28 out 2016, 06h50 - Publicado em 28 jan 2016, 12h40

Você já ouviu falar no “pote da calma”? Sucesso no Pinterest e em outras redes sociais, a técnica tem conquistado mães no mundo do todo, que compartilham experiências de sucesso e recomendam o uso.

Inspirado no método Montessori, que propõe a criação de um ambiente de aprendizado mais criativo, o “pote da calma” cria um momento propício para que as crianças se expressem e tentem explicar os motivos de raiva ou tristeza.

Como funciona

Assim como os recém-nascidos , especialmente os prematuros, aprendem a regular a respiração, a frequência cardíaca e a temperatura corporal através de uma fonte externa (o contato pele a pele com os pais), as crianças maiores muitas vezes necessitam de uma fonte externa para aprender a regular suas respostas fisiológicas e emocionais.

Continua após a publicidade

Entre as técnicas mais comuns estão os exercícios de respiração, envolver-se em um cobertor, fazer automassagem, sentar-se em uma cadeira de balanço ou cantar canções tranquilas. O auto controle é um processo ainda mais difícil em crianças autistas ou com dificuldade de processamento sensorial. Neste contexto, os potes da calma surgiram como uma boa ferramenta de transição entre uma crise nervosa e um estado de auto controle.

Se a criança está tão chateada que não pode ser consolada nem envolvia em outras atividades calmantes, o pote da calma funciona como uma âncora visual, trazendo sua atenção a um único foco e estimulando-a a expressar seus sentimentos de maneira tranquila.

A criança pode chacoalhar o pote com toda a força e não deve ser repreendida por isso. Essa atitude faz parte do processo tranquilizante. O movimento da água com brilho fornece um escape sensorial à frustração e ainda serve como alternativa física para se acalmar de forma menos destrutiva do que chutar ou bater. Segundo os defensores do método, o movimento dos brilhos dentro da garrafa serve como uma instrução inconsciente para retardar sua frequência cardíaca e respiratória.

Continua após a publicidade

Pinterest
Pinterest ()

Como fazer

É possível fazer potes com os mais variados efeitos. É importante que o frasco utilizado seja bem vedado e de material resistente, que não quebre se cair no chão. No interior do pote, misture algumas colheres de cola glitter, purpurina, água morna e corante. Pingentes, plumas e outros acessórios podem ser inseridos para criar efeitos mais divertidos. Não se esqueça de deixar um espaço vazio na parte superior do pote, para garantir que o liquido poderá ser agitado.

Continua após a publicidade

O efeito é mais eficaz quando apresentado para a criança antes de uma crise. Agite o frasco, entregue-o à criança e deixe que ela veja o que acontece. Depois, deixe o frasco em um local de fácil acesso. Assim, a criança poderá pegá-lo sozinha quando sentir-se chateada, oprimida ou agitada.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

O mundo está mudando. O tempo todo.
Acompanhe por CLAUDIA e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.

Acompanhe por CLAUDIA.

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 12,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.