Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Limite à internet fixa volta ao debate – mas não há nada a temer

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Gilberto Kassab, falou sobre uma possível implementação da mudança neste ano. A Anatel desmente. Entenda:

Por Giovana Feix Atualizado em 20 jan 2020, 22h53 - Publicado em 13 jan 2017, 16h37

No primeiro semestre do ano passado, a possibilidade de que um novo tipo de limite fosse imposto aos planos de banda larga fixa assustou todo mundo. A mudança afetaria, afinal de contas, a maior parte dos nossos hábitos na internet – como o uso de serviços como Spotify e Netflix.

De acordo com uma entrevista feita pelo portal Poder 360 com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Gilberto Kassab, a intenção é que mudança não escape de 2017, podendo ser implementada no próximo semestre. Segundo ele, os usuários vão ter de pagar um valor a mais, se quiserem usar mais dados do que os determinados por seu plano – diferente do que acontece hoje, sendo a cobrança atualmente feita em relação à velocidade, não à quantidade de dados consumidos.

Kassab afirma que a mudança vem para melhorar o serviço. “Na condição de ministro, tenho que dar prioridade à melhoria dos serviços e ao que é melhor para o consumidor”, diz.

Em entrevista ao G1, no entanto, o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Juarez Quadros, garante não ter intenção de reabrir esta questão, e diz que Kassab cometeu um “equívoco”.

Seja como for, os brasileiros já deixaram bem claro, no Twitter, que vão proteger seu acesso à internet com unhas e dentes.

https://twitter.com/_ninamaciel/status/819981215440793600

Continua após a publicidade

https://twitter.com/augusstolucas/status/819743880899915777

Continua após a publicidade
Publicidade