Irmãs gêmeas fazem 100 anos e revelam o segredo da longevidade

Irene Crump e Phyllis Jones nasceram no dia 20 de novembro de 1916 e celebraram o aniversário com famílias e amigos.

As duas senhoras da fotografia abaixo são irmãs gêmeas inglesas que acabaram de completar 100 anos de idade. Irene Crump e Phyllis Jones nasceram no dia 20 de novembro de 1916, com 25 minutos de diferença entre uma e outra. Elas frequentaram a mesma escola, tiveram o primeiro emprego no mesmo lugar e agora vivem juntas em Stourbridge, na Inglaterra. O aniversário das duas foi celebrado em uma festa para 48 pessoas, entre amigos e membros da família.

 

Irmãs gêmeas centenárias
Irene, a mais nova das gêmeas, que não são idênticas, disse ao jornal Daily Mail que elas geralmente comemoram o aniversário juntas, e que a celebração este ano foi ótima. “Muito trabalho e uma alimentação saudável são nossos segredos, é só isso que posso dizer.”

Leia também: Idosa abandona passado sofrido e viaja sozinha pelo mundo

Irmãs gêmeas centenárias

Irene e Phyllis tinham uma irmã mais velha, Dorothy, que morreu em 2006 ao s 92 anos de idade. Dorothy também tinha uma irmã gêmea, mas sua ela morreu durante o parto.

Leia também: Idosa recebe diploma escolar após passar 79 anos esperando por isso

As duas irmãs foram casadas. Samuel, marido de Irene, morreu em 1999 e viveu bem até os 90 anos de idade e Ray Jones, marido de Phyllis, morreu aos 91 anos de idade em 2006.

Irmãs gêmeas centenárias

Carl Jones, filho único de Phyllis – Irene nunca teve filhos – ajuda as duas senhoras, especialmente agora que Phyllis desenvolveu um tipo de demência vascular. “Minha esposa Patricia e eu estamos aqui todos os dias e nós ligamos para elas pela menos outra vez ao longo do dia. Elas moram sozinhas e estão muito bem. Se têm alguma emergência, elas me ligam”, disse Carl.

Leia também:  Idosa diagnosticada com câncer troca quimioterapia por “viagem dos sonhos”
Elas não quiseram nenhum presente de aniversário. Em vez disso, pediram doações para o serviço de ambulância do Reino Unido, um serviço operado por diversas organizações que operam helicópteros e aviões que atende emergências médicas. “Nós não quisemos presentes, apenas doações. É uma coisa que nos toca”, disse Irene.

%d blogueiros gostam disto: