Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Homem e mulher se casam na UTI junto da filha que nasceu prematura

Rubia Ferreira e Tyler Campbell jamais imaginaram que diriam "sim" em um quarto de hospital - mas foi tudo por uma boa causa.

Por Ketlyn Araujo - Atualizado em 16 jan 2020, 15h21 - Publicado em 18 abr 2018, 17h02

Tudo corria bem com a gravidez de Rubia Ferreira, descoberta em junho passado. Ela e o então noivo Tyler Campbell esperavam por uma menina e, já que que a gestação não apresentava maiores problemas, os dois decidiram viajar juntos de Okinawa, no Japão, onde viviam, para a cidade de Jasper, no Alabama, onde Tyler nasceu.

Porém, ao chegar no destino final, Rubia começou a apresentar fortes dores abdominais, e logo foi levada ao hospital da Universidade do Alabama em Birmingham (UAB), onde descobriu que teria de se submeter a uma cesárea de emergência – isso tudo com apenas 24 semanas de gravidez (aproximadamente cinco meses).

A urgência do procedimento foi dada pois Rubia, logo que deu entrada no hospital, foi diagnosticada com alguns sintomas da chamada Síndrome de Hellp, condição rara que causa aumento na pressão arterial e pode afetar mulheres grávidas, tanto durante a gestação quanto no pós parto, causando até mesmo a morte da mãe. Assim, ela precisaria ser operada às pressas, na tentativa de salvar a própria vida e a da filha.

UAB Medicine News/Reprodução

A cirurgia foi um sucesso e, em novembro passado, Rubia deu à luz Kaelin Maria, sua primeira filha, que foi imediatamente admitida na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal da UAB, onde está sendo monitorada até hoje, cinco meses depois do nascimento.

Continua após a publicidade

Nos meses seguintes ao nascimento da menina, o casal começou a discutir a possibilidade de oficilizar a união um pouco mais cedo que o esperado, lá mesmo, no hospital: “Sabíamos que não iríamos conseguir esperar ainda mais para casar – queríamos ter certeza de que nossa filha estaria lá. Nós pensamos em como seria legal ter nosso casamento no quarto de Kaelin, mas não estávamos esperando que isso fosse realmente acontecer”, disse Tyler Campbell, em entrevista ao site oficial da UAB.

Homem e mulher se casam na UTI junto da filha que nasceu prematura
UAB Medicine News/Reprodução

Foi então que, ao ouvir sobre a ideia de Rubia e Tyler, a equipe médica do local começou a mexer os pauzinhos para que o sonho do casal acontecesse:

“Nunca havíamos tido um casamento desse tamanho e escala aqui no hospital, mas todos estavam dispostos a fazer o que fosse necessário para torná-lo uma realidade”, falou Sandra Milstead, enfermeira de família do Centro de Mulheres e Crianças da UAB.

Em apenas duas semanas, todo o hospital se mobilizou para realizar a cerimônia, sendo que cada departamento ajudou com uma parte: decoração, buquê de noiva, bebidas, bolo de casamento… tudo foi providenciado.

Continua após a publicidade
UAB Medicine News/Reprodução

Rubia, é claro, também teve sua entrada triunfal como noiva, caminhando rumo ao matrimônio ao lado do médico neonatologista responsável por Kaelin, Waldemar Carl, diretor da Divisão de Neonatologia da UAB. Já Malcolm Marler, Diretor de Cuidados Pastorais da UAB, foi o responsável por oficializar a cerimônia. Em 14 de fevereiro deste ano, Dia dos Namorados nos Estados Unidos, Rubia e Tyler se casaram junto da filhinha.

Homem e mulher se casam na UTI junto da filha que nasceu prematura
UAB Medicine News/Reprodução

O casal planeja retornar a Okinawa assim que Kaelin for liberada do hospital – a previsão é de que ela tenha alta ao final do verão americano (inverno no Brasil). Os dois não veem a hora de poder contar para a filha como tudo aconteceu:

“Queremos que Kaelin olhe para as fotos do nosso casamento e reconheça nossa experiência como família na UAB. Esperamos que ela entenda o quanto nós nos importamos com ela e a amamos, e o quanto foi significativo para nós que o nosso casamento acontecesse lá, ao lado dela”, finalizou Tyler.

Publicidade