Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

“Eu sou mulher, estudante, também mereço respeito”: ela enfrentou o Coronel Telhada

Karol Rocha não abaixou a cabeça para as ameaças dos deputados

Por Luciana Teixeira (colaboradora) Atualizado em 21 jan 2020, 10h38 - Publicado em 5 Maio 2016, 09h19

Caso você não esteja acompanhando a cobertura das redes sociais sobre o caso da queda de qualidade e até falta de merenda nas escolas de São Paulo, ao final da manhã de ontem (4) cerca de 100 estudantes ocuparam a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) reivindicando a abertura da CPI da máfia das merendas.

Durante a ocupação, os deputados Coronel Telhada (PSDB) e Delegado Antônio Olim (PP) bateram boca com uma estudante, como você pode assistir no vídeo abaixo:

Podemos ver Telhada exaltado, bradando: “Que que você tá pensando? Está pensando que tá falando com um moleque é? Eu tenho que ser respeitado nessa casa. Baixa seu tom para falar comigo. Eu vou prender essa moça. Eu vou mandar prender. Tira a mão de mim!”

Sem se deixar intimidar, a menina revida: “Só porque você é deputado? Eu sou mulher, estudante, também mereço respeito. Aqui é a casa do povo. Porque a gente está aqui pedindo uma CPI legítima? É por isso que você vai me prender?”

Saindo em defesa do Coronel, o Delegado Antônio Olim ataca outras pessoas que estão apoiando a ocupação: “Você não gostou porque estão gritando com você? Você é quem aqui? Famoso quem? Não vem pagar de louco.”

Entenda o caso:

Após os atos contra o fechamento das escolas no ano passado, o Estado de São Paulo decidiu economizar na educação cortando a merenda dos estudantes. A torcida organizada do Corinthians começou a se manifestar nos jogos pouco depois das denúncias serem feitas nas redes sociais e, agora, o ponto alto é a ocupação do Centro Paula Souza (Escola Técnica do Estado de São Paulo) e a ALESP.

Com as denúncias, os principais prejudicados são o governador Geraldo Alckimin, o presidente da ALESP Fernando Capez, os deputados do vídeo, entre outros.

UPDATE: O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, pelo desembargador Sergio Serrano Nunes Filho, determinou a reintegração de posse da ALESP em até 24 horas, fixando multa de R$ 30 MIL por dia para cada ocupante identificado.

Continua após a publicidade
Publicidade