Eu não bebo e não gosto de futebol. É possível fazer networking que não envolva chuteira e cerveja?

Cynthia de Almeida indica alternativas para socializar com colegas, chefes ou possíveis clientes

Sem desmerecer o simpático chopinho do fim da tarde, essa versão clube do bolinha de estabelecer conexões fora do ambiente do trabalho está longe de ser a única. Mulheres acham que são excluídas dessa prática (importantíssima, vale lembrar) porque nem sempre sentem-se à vontade para convidar um cliente homem para o balcão do boteco ou acompanhá-lo na torcida uniformizada do seu time no estádio. No entanto, levam uma vantagem da qual nem sempre se dão conta: gostam de cuidar dos outros e são muito boas em receber, ficar amiga das mulheres, juntar famílias e filhos. O seu networking com chefes, clientes e colegas pode ser desde uma pizza na sua casa até um convite para um piquenique no parque no domingo com as famílias. Para estreitar laços com as pessoas com as quais você trabalha ou de quem gostaria de se aproximar, é recomendável que você primeiro pesquise e entenda do que gostam, qual é seu estilo de vida e quais pontos de afinidade vocês têm. Se souber do que gostam ou precisam, fica bem mais fácil unir o útil ao agradável.

Cynthia Almeida é colunista de carreira e escreve em CLAUDIA todas as terças-feiras. Tem alguma dúvida? Escreva para ela!