Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Estupro coletivo: novo vídeo mostra vítima implorando para que parassem

Vídeo foi encontrado no celular de Raí de Souza

Por Ligia Helena - Atualizado em 21 jan 2020, 09h18 - Publicado em 6 jun 2016, 07h01

Ela implorou que os estupradores parassem e gemeu de dor. Na mais recente evidência que veio a público do caso do estupro coletivo ocorrido no Rio de Janeiro, fica claro que a vítima, uma garota de 16 anos, não consentiu com o abuso que sofreu. O vídeo, encontrado no celular de Raí de Souza, atualmente preso, derruba assim uma das teorias cruéis que circulavam pela internet: que não teria sido estupro, e sim uma orgia. 

>>> Leia também: Cultura do estupro: antes de dizer que não existe, entenda o que significa 

Não foi uma orgia. A menina foi estuprada duas vezes, e na segunda vez ainda foi humilhada com xingamentos por um dos criminosos. Os estupradores inclusive introduziram objetos na vagina da vítima, que estava desacordada. O novo vídeo também evidencia a participação de mais dois homens. Além de Raí de Souza e Raphael Assis Duarte Belo, que estão presos, ainda aparecem nas gravações Moisés Camilo de Lucena, conhecido como Canário, e Jefinho. Um quinto suspeito, Lucas Perdomo Duarte dos Santos, foi solto na sexta-feira, pois a polícia não encontrou indícios que justificassem a prisão. Lucas, porém, segue sendo investigado. 

Veja mais sobre o caso:

Continua após a publicidade

Vítima de estupro coletivo dá depoimento: “Quando acordei tinham 33 caras em cima de mim”
Vítima de estupro coletivo no Rio agradece apoio nas redes sociais
“Sangrando…” Por que o drama da garota estuprada no Rio de Janeiro é o drama de todas as mulheres brasileiras
“Espero que esses homens tenham uma filha”, diz vítima de estupro coletivo
Estupro coletivo não é só covardia. É ideologia

Veja como foram os protestos pelo fim da violência contra a mulher por todo o Brasil

 

 

Publicidade