CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Ensine seu filho a se comportar nas festas de fim de ano

Seu filho fica impossível nas festas, emburra ou reclama dos presentes? Saiba como lidar com essas saias justas

Por Redação M de Mulher Atualizado em 16 jan 2020, 06h12 - Publicado em 10 dez 2012, 21h00

Brincar não é o problema, o que não pode é ser mal-educado ou fazer bagunça exagerada
Foto: Getty Images

Arrumadinho para ir à festa, seu filho começa a fazer manha. Ao chegar ao evento, ele fala mal do seu chefe, reclama da comida e dos presentes que ganha… A cena é comum e dá vontade de arrancar os cabelos, mas não grite. Na hora, é melhor se segurar para não perder a razão. “Apenas retire-se com seu filho da cena, considerando que as crianças também ficam estressadas. A mudança de rotina com as férias pode deixá–las ainda mais agitadas e cansadas, e criança cansada faz birra”, afirma a psicóloga infantil Patrícia Serejo, de Brasília.

Segundo Patrícia, não devemos exigir que as crianças se comportem como adultos. “Os pais precisam aprender a driblar a saia justa sem deixar a criança sentir vergonha de estar levando uma bronca em público”, completa a consultora de Etiqueta Comportamental Aruana Mendes Medeiros, de Curitiba. Veja de que maneira você pode contornar situações como estas sem perder a cabeça.

O que fazer quando seu filho…

· Reclama ao se arrumar para o compromisso e fica emburrado o tempo todo no evento

Explique com antecedência que a família vai a uma festa e combine com seu filho a roupa que ele usará. “Deixe-o escolher entre as opções (não dê muitas!). Isso facilitará a aceitação do programa”, diz a psicóloga Patrícia Serejo. A roupa deve ser confortável para que o pequeno não se irrite com etiquetas que pinicam, meia-calça que esquenta ou sapatos apertados. “Emburrar é a forma como a criança lida com a chateação. Espere passar até que a criança se distraia. Exigir um sorriso só piora a situação.” Mas, se a pirraça continuar, a consultora Aruana dá a dica: “Os pais devem dialogar com firmeza, sem deixar a criança perceber o estresse que está gerando”.

· É agressivo com outras crianças da festa

De novo, o exemplo que ele vê todos os dias em casa faz toda a diferença. “Se os pais são agressivos, o filho vai aprender a ser assim também. Se ele já tiver batido em outra criança, incentive-o a pedir desculpas”, ensina a psicóloga. Se nada adiantar, vá embora e converse com ele em casa.

· Faz a maior bagunça na casa dos anfitriões (amigos ou parentes)

Continua após a publicidade

Não adianta querer o impossível: os pequenos não vão ficar paradinhos por horas na mesa do jantar. Leve brinquedos, e se as crianças pegarem objetos da casa visitada devem devolvê-los do mesmo jeito que os encontraram. “Ensine que, ao visitar uma família, as regras da casa da pessoa devem ser obedecidas”, orienta Aruana. “Se, mesmo assim, seu filho fizer bagunça a ponto de incomodar os outros convidados, tire-o de lá, ainda que isso signifique acabar a festa dos pais mais cedo!”, explica a psicóloga. “Criança com fome e sono fica mais irritada. É preciso conciliar as festas com a rotina e as necessidades dela”, lembra Patrícia.

· Rejeita um presente que ganhou ou questiona o preço

Explique que a pessoa pensou nele ao escolher o presente e peça que agradeça. “Acontece bastante de uma criança pequena rejeitar o presente, mas os pais devem estar atentos ao motivo que a faz agir assim. Pode acontecer também de ela estar apenas de mau humor ou ter se frustrado por ter outra expectativa”, diz a consultora. De qualquer forma, ela deve sempre agradecer.

· Interfere nas conversas dos adultos, incomodando-os

“Quando a criança está sem ter o que fazer, atrapalha ainda mais as conversas. Ela precisa ter com o que se entreter e aprender a respeitar o espaço dos adultos”, observa a psicóloga. A consultora Aruana completa: “Caso seu filho extrapole, é bom corrigi-lo de uma forma simpática, sem gerar tensão. Uma educação baseada no carinho e no limite é essencial para o convívio em sociedade”.

· Fala mal de alguém numa festa, na presença da pessoa

Em primeiro lugar, peça você desculpas a quem ele ofendeu. “Não grite com a criança e espere chegar em casa para ter uma boa conversa. Assim, evitam-se duas situações constrangedoras”, ensina Aruana. Mas cuidado: ele pode ter dito isso porque ouviu em casa! “Repreenda, mostrando que é rude falar mal das pessoas e que alguns comentários, ainda que sejam verdade, são desnecessários”, diz Patrícia.

· Durante o jantar na casa de amigos, reclama da comida ou faz sujeira

Crianças ainda estão aprendendo a se portar, porém princípios básicos de bons modos à mesa, como não falar de boca cheia ou jogar comida para fora do prato, já devem vir aprendidos de casa. A psicóloga Patrícia recomenda algumas punições, como limpar
o que sujou. “À vezes, a criança não consegue colocar em prática tudo o que aprendeu, por sono ou para chamar a atenção. Na hora, converse sem causar constrangimento e se desculpe com os anfitriões”, diz Aruana.

Fontes: Clínica Super Infância / Aruana Mendes Medeiros
 

Continua após a publicidade

Publicidade