CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

Ensaio de 15 anos com tema ESCRAVIDÃO gera revolta na internet

Após a repercussão negativa, a responsável pela organização reconheceu o erro e pediu desculpas.

Por Lucas Castilho Atualizado em 16 jan 2020, 16h58 - Publicado em 15 mar 2018, 15h34

Em um país no qual muitos insistem em dizer não existir racismo, mais uma prova. Recentemente, acharam ~legal~ fazer um ensaio fotográfico de debutante com o tema “Império e Escravidão”. Nas imagens, publicadas no Instagram da cerimonialista responsável pelo evento, é possível ver uma garota branca servida por pessoas negras vestidas como escravos.

Leia Mais: MC Carol fez texto emocionante sobre a morte de Marielle Franco

Realizadas em Belém, no Pará, as fotos foram feitas na última quarta-feira (14). Questionada nas redes sociais, Lorena Machado, a produtora, disse que os jovens eram atores contratados apenas para representar uma cena histórica, sem nenhum preconceito, tá?!

Na web, obviamente, o sentimento é de revolta – ainda mais após o assassinato a tiros da vereadora negra Marielle Franco (PSOL).

Continua após a publicidade

https://twitter.com/Pri_fds/status/974277632815763461

Após a repercussão negativa, a responsável pela organização reconheceu o erro e pediu desculpas no Facebook: 

“Diante dos ocorridos, com total humildade, estamos vindo a público nos retratar e pedir PERDÃO. Jamais foi nossa intenção fazer qualquer retratação que levasse a entender que a escravidão foi algo bom em nossa história. Tínhamos a única intenção de retratar o período histórico do Império que, infelizmente, tinha escravidão. Mas, graças a outros olhares, percebemos que fomos infelizes nessa reprodução. Erramos, sim! E admitimos nosso erro. Como todo ser humano, estamos passíveis de erros e acertos. Desta vez erramos, e feio”. Pedimos perdão a todos os negros, negras, descendentes, pardos e pardas e a qualquer pessoa que tenha se sentido atingida por nossa publicação.

Atacada nas redes sociais, a cerimonialista deixou a conta dela no Instagram como privada. Claro, é absurdo e revoltante, mas, como ela reconheceu no texto, errou feio e pediu perdão.

Continua após a publicidade

Publicidade