Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como lidar com filhos após a separação

Aprenda a manter a família unida, mesmo com o fim do casamento, e acabe com o sofrimento das crianças

Por Redação M de Mulher Atualizado em 20 jan 2020, 09h20 - Publicado em 2 abr 2011, 21h00

Lutar pela união da família após o divórcio exige paciência e maturidade
Foto: Getty Images


Até os casais que juravam ser almas gêmeas podem se dar conta de que as brigas não são só uma fase e que o amor simplesmente acabou. E, por mais angustiante que esteja viver ao lado do parceiro, essa hora é sempre dolorosa, principalmente quando se tem filhos.

Afinal, os pais sentem medo de prejudicar as crianças, já que, com o divórcio, a rotina da família ficará diferente e a figura paterna não estará mais em casa todas as noites. Mas não se preocupe: é possível enfrentar o processo sem dramas – e sem traumatizar os pequenos. Confira as dicas e faça com que o fim do casamento não signifique o fim da família. 

Descubra o que fazer para ajudar o seu filhos a enfrentar o divórcio na família, de acordo com a idade dele:

Até 2 anos

As crianças menores tendem a ficar doentes com facilidade, choramingar e até ter regressões de comportamento, como retardo na fala. Alivie isso com muito contato físico, beijos e abraços.

De 2 a 6 anos

Nessa idade, as crianças se sentem culpadas pela separação, podem ter pesadelos e medo de que falte algo em casa. Lembre-as de que serão amparadas, haja o que houver.

De 6 a 12 anos

Continua após a publicidade

Podem ter o rendimento escolar prejudicado e costumam achar que os pais estão se divorciando deles também. Precisam de elogios, que elevem e fortaleçam a autoestima.

De 12 a 18 anos

Já têm maturidade para entender o ocorrido, mas ainda devem ser lembrados de que são importantes e amados, tanto por você, quanto pelo pai, ainda que ele esteja partindo.

Como manter a família unida, após a separação:

Drible sua raiva: essa não é tarefa fácil. Às vezes, é necessário anular (ou não demonstrar) a raiva que você sente do ex-parceiro, para não prejudicar as crianças.

Abra o jogo: seja sincera com seus filhos sobre o fim do casamento. Explique que haverá mudança na rotina e, talvez, apertos financeiros. Não se esqueça de deixar claro que você sempre estará lá para ajudá-los.

Evite brigar na frente dos pequenos: assim, você mostra que eles não têm culpa.

Não exclua o pai da vida das crianças: permita e incentive conversas ao telefone entre eles diariamente. Se der, deixe que o pai as busque na escola.

Acostume-se com a ideia de ter seu ex sempre por perto: mesmo que a separação não tenha sido amigável, vocês terão de conviver. Por isso, se não concorda com alguma atitude dele relacionada à educação das crianças, não o desautorize na frente delas. Chegue a um acordo “nos bastidores”.

Tenha tudo determinado na justiça: organize a vida de todos: procure um juizado e determine as datas de visitas. Aproveite também para combinar um valor de pensão perante o juiz.
 

Continua após a publicidade
Publicidade