Como economizar sem perder o estilo de vida

8 maneiras de cortar despesas e não ter que dispensar o bom gosto só por causa de alguns reais a menos

Como economizar sem perder o estilo de vida

Não compensa manter contas em instituições diferentes. Concentre tudo em um banco e pague menos taxas
Foto: Getty Images

Você é vaidosa, dinâmica, alegre e não dispensa grandes e pequenos prazeres da vida. Só que está precisando economizar. E agora? Será o fim dos encontros com amigos, das compras, do cabeleireiro? Nada tão radical.

Ao decidir gastar menos, você opta por adotar um padrão mais modesto, mas isso não tem nada a ver com estilo. Basta cortar no lugar certo, começando pelas gordurinhas financeiras. A tática seguinte é ser curiosa e criativa o suficiente para encontrar novas formas de levar a vida do seu jeito. ”O importante é rever os hábitos que dão mais custo que benefício”, aconselha Reinaldo Zacalsky, da Boutique de Investimento, em São Paulo.

Confira, a seguir, 8 sugestões para você começar a gastar menos sem radicalismos. Muitas delas são tão boas que poderão continuar fazendo parte da sua vida mesmo quando existir folga financeira.

1. Um cartão é pouco, três é demais
Quantos existem na sua carteira? Se são muitos e você paga anuidade por todos eles, está perdendo dinheiro. Diversas administradoras aboliram essa cobrança. Algumas exigem apenas que seja feita uma pequena despesa a cada dois ou três meses. É só ir atrás e pesquisar. Opte por dois cartões com diferentes bandeiras e datas de vencimento – por exemplo, uma no meio e outra no final do mês. Use no momento certo e você terá em média 30 dias para pagar. Os juros cobrados nos pagamentos parcelados também podem ser negociados.

2. Ordem na sua vida bancária
Não compensa manter contas em instituições diferentes. Concentre tudo em um mesmo banco e, com esse trunfo na mão, pague menos taxas pelos serviços oferecidos. Fique esperta também com os seguros. Eles se tornam mais caros quando você contrata vantagens extras, como o seguro-desemprego, incluso em diversos seguros de vida. Pelo menos durante o período de contenção, passe para o modelo básico.

3. Sai o jantar, entra o café da manhã
Comer em restaurantes não combina com economia. Então, vamos à luta para substituir esse programa por outros mais em conta. Que tal um brunch dominical ou um chá da tarde num hotel elegante? É diferente, é chique, é econômico. Uma refeição preparada a duas, quatro ou muitas mãos também funciona bem. Se você não tem tempo para isso, pode apelar para as boas rotisseries. Elas entregam tudo pronto – é só esquentar e montar a mesa no capricho. Quando os convidados trazem o vinho, então, fica perfeito.

4. Economias no salão de beleza
Boa parte dos salões de beleza faz promoção em dias de movimento baixo, quando os preços caem até 50%. Aproveite. Que tal cortar e tingir no cabeleireiro mais conceituado (e, portanto, mais caro) e deixar para fazer unhas e escova no salão pequeno e competente perto de sua casa? Em tempo: não ceda às sugestões de tratamentos complementares ou de compra de produtos.

5. Menos potes, mais qualidade
Não dá mais para ficar testando todo creme novo, abrindo o frasco e usando só a metade. Você precisa acertar na hora de comprar cosméticos. A melhor forma é consultar um bom dermatologista, eleger os produtos que atendem às suas necessidades e seguir a receita à risca. Ou peça a ele que prescreva fórmulas para serem feita em farmácia de manipulação. São boas e custam menos.

6. Se não vai usar, pra que pagar?
Esquecer de devolver a fita na locadora, assinar um pacote de TV a cabo que dá acesso a dezenas de canais – e nunca parar em casa – ou ser sócia de um clube que já nem lembra mais onde fica são exemplos de gastos desnecessários. Sacrifique algumas horas no fim de semana para identificar e, em seguida, acabar com ralos desse tipo. É por eles que o dinheiro escoa sem acrescentar nada ao seu estilo.

7. Celular? Vá de pacote básico
Não, ninguém vai dizer para abdicar dele. Mas o tal aparelho pode virar um escoadouro de dinheiro. Os novos modelos oferecem diversas tecnologias, como acesso à internet, consulta a saldo de banco – e tudo isso aumenta a conta. ”O ideal é ter um celular fashion do tipo funcional”, afirma Reinaldo Zacalsky. ”Quase ninguém precisa de tantos recursos.” Outro ponto a observar é o pacote de minutos oferecido pela operadora. Veja qual pode trazer mais vantagens. Outra dica: o pré-pago ajuda mesmo a economizar. ”Tem um efeito psicológico interessante”, explica Reinaldo. ”É como viajar com o tanque pela metade. Você com certeza acelera menos.”

8. Achados nas pontas de estoque
Elas estão cada vez melhores e, em época de democracia na moda, oferecem ótimas opções para um guarda-roupa descolado. Assim como as lojas de fábrica de grifes, com peças da coleção passada, que, convenhamos, quem tem estilo sempre sabe como usar. Aposte nos itens básicos e em alguns que façam diferença no visual. E não marque bobeira: as boas lojas de departamento melhoraram muito no quesito acessórios. São todos bem baratos e dão um toque pra lá de especial.