Como a influência dos amigos pode mudar o comportamento das crianças

Você pode ajudar seu filho a ser aceito pelas outras crianças sem que, para isso, tenha que negar os próprios valores

Se sentir que seu filho está tendo dificuldades em fazer amizades na escola, fale com a professora
Foto: Getty Images

A partir dos 8 anos, a criança torna-se mais independente dos pais e procura relações novas fora da família. Na companhia dos amigos, começa a perceber quem é e do que é capaz. Com o grupo, ela aprende a seguir regras, a manter segredos, a falar e a escutar, a negociar, a ser leal. Será preciso fazer concessões em vez de querer que as coisas aconteçam a seu modo. Nessa fase, ocorre uma aprendizagem social, que será de grande utilidade na vida adulta.

O grupo tem suas regras, sua maneira de vestir e de falar. Para ser admitido, é necessário ser e agir como os outros. É a pressão do grupo. Em função disso, seu filho poderá viver situações de conflito, em que os companheiros valorizam comportamentos contrários aos valores dele e de sua família. Como colaborar para resolver o problema?

Ser seletiva?

Mesmo que não goste do novo corte de cabelo de seu filho, da música que estão ouvindo, da gíria da moda, controle-se e não dê palpites. Se você começar a criar caso com qualquer coisa, ele logo deixará de ouvi-la. Mas, se ele for pressionado ou estiver pressionando outros a tomar atitudes perigosas ou anti-sociais, você deverá interferir. Assim, se o grupo decidir que só é legal quem bebe e fuma ou quem tem coragem de agir como vândalo, é hora de entrar em cena.

Uma hipótese: os amigos de Luís, um garoto de 10 anos, acham legal provar bebida alcoólica. Para conquistar pontos diante dos amigos, ele abre o bar de sua casa à turma. Os pais percebem que houve consumo extra de bebida e desconfiam de outros moradores da casa, como a empregada. Só então ele conta a verdade. Luís sentiu necessidade de exibir-se, fazendo alguma coisa que sabia ser proibida. Nessa idade, a criança deve ser responsabilizada por suas ações e essa atitude exige punição, como o corte de algum privilégio. Mas ele merece elogios por dizer a verdade.

Essa é uma boa oportunidade para seu filho aprender a equilibrar seus valores com os dos companheiros. Juntos, vocês podem criar estratégias que o ajudem a lidar com as pressões do grupo sem ter que negar os próprios princípios.

Se perceber que ele está pressionando os outros, tome também uma atitude. Caso escute-o falar ao telefone usando frases rudes ou cruéis, por exemplo, você deve interferir.

Ajude-o a ser aceito

· Deixe-o vestir-se igual, falar igual, brincar igual, receber a mesma mesada e outros privilégios da média das crianças com quem ele convive.

· Seja hospitaleira e amigável quando ele trouxer um amigo para casa.

· Convide aquele garoto do qual ele quer se aproximar (e não aquele de quem você gostaria que ele ficasse amigo) para ir com vocês ao teatro ou fazer um passeio.

· Se sentir que seu filho está tendo dificuldades em fazer amizades na escola, fale com a professora. Ela também pode ajudá-lo a se entrosar com o grupo.