Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Brincando de plantar, seus filhos aprendem sobre vida e natureza

É divertido, lúdico e também pode acontecer dentro do apartamento

Por Estúdio ABC Atualizado em 3 nov 2016, 14h53 - Publicado em 27 jun 2016, 13h28

Quem nunca fez a experiência de “plantar” um grão de feijão sobre algodão molhado, para vê-lo crescer um pouquinho a cada dia? A natureza sempre despertou o interesse de crianças de todas as idades – e pode virar uma brincadeira das mais divertidas para meninos e meninas. Sócia do viveiro Sabor de Fazenda, em São Paulo, a nutricionista e herborista Silvia Jeha criou, há 20 anos, um projeto de educação ambiental e jardinagem infantil batizado de Dedinho Verde. Nele, crianças de 4 a 10 anos têm a chance de plantar e colher, sujando as mãozinhas com vontade. “O projeto foi criado a pedido de mães e pais que se mostravam preocupados com a distância entre seus filhos e a natureza”, ela lembra. O objetivo, diz Silvia, é promover descobertas: crianças que crescem em ambientes urbanos ficam encantadas quando lidam com a terra, enxergam a fauna minúscula que vive no solo e acompanham a evolução das plantas. “Muitas chegam aqui com nojinhos e aflições, evitando se sujar, e saem da vivência achando tudo muito natural.” E não é só. Segundo a herborista, ao praticar jardinagem a criança aprende outras importantes lições, que serão úteis para a vida inteira. Confira algumas delas:

Foco
Para enxergar os bichinhos miúdos que vivem escondidos na terra, como centopeias, minhocas e tatus-bola, é preciso ter muita atenção. Naturalmente dispersas, as crianças são estimuladas a olhar para baixo e se concentrar para vê-los. Consequentemente, ficam curiosas para aprender mais sobre eles. “Todos ficam enlouquecidos quando descobrem esse universo tão rico embaixo dos pés.”

Responsabilidade
Ao comparar a fragilidade de uma mudinha com a força da planta já adulta, a criança compreende que a natureza deve ser cuidada para se desenvolver – e que todos devem contribuir. “Fazendo um paralelo com a vida humana, desde o nascimento dos bebês, mostro que todo ser vivo nasce pequeno e depende de condições adequadas para crescer, como boa alimentação, água e espaço para se desenvolver.”

Sustentabilidade
É uma oportunidade e tanto para mostrar que o lixo orgânico pode virar adubo. O assunto rende um bocado e pode chegar a outro tema muito atual: o consumo consciente.

Higiene pessoal
Não é raro, diz Silvia, topar com crianças que se sentem incomodadas quando sujam as mãos com terra. Há até as que evitam sentar no chão. “Tento mostrar que terra é alimento, não sujeira.” Quando chega a hora do lanchinho, porém, os pequenos são convidados a fazer aquela faxina nas mãos, com direito a escovinha para limpar as unhas. “Explico qual é a importância de fazer a higiene adequada no fim do trabalho, o que vale para o término de qualquer brincadeira ao ar livre.”

Paciência
Ao acompanhar o crescimento de uma plantinha, a criança aprende que a natureza tem seu tempo – e não adianta apressá-la. Trata-se de um recurso importante para ajudar a criança a controlar sua ansiedade e compreender os ciclos da vida, do nascimento à morte.

Diversidade à mesa
Nada mais eficiente para abrir o apetite do que permitir que a criança plante e colha seu alimento. E nem é preciso ter um quintal amplo para plantar uma horta. Tomate, rúcula, rabanete e alface se desenvolvem bem em vasos – só precisam de água e quatro horas diárias de sol – e podem ser colhidas em pouco mais de um mês. “Se pais e filhos se envolverem juntos, o cultivo da horta e o preparo das refeições vai se transformar em uma gostosa brincadeira em família.”

Continua após a publicidade
Publicidade