Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Ativista feminista sofre estupro e relata no Instagram

Amber Amour estava divulgando a campanha #StopRapeEducate na África do Sul quando sofreu o abuso

Por Luciana Teixeira (colaboradora) - Atualizado em 21 jan 2020, 15h52 - Publicado em 8 jan 2016, 07h58

Amber Amour é uma norte-americana de 27 anos que, assim como tantas mulheres, sofreram violência sexual. A diferença é que Amber resolveu compartilhar sua experiência no Instagram, minutos depois do ocorrido.

Ela estava na cidade do Cabo, na África do Sul, divulgando seu trabalho como ativista feminista, através da ONG e hashtag #StopRapeEducate (Pare o estupro, eduque).

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

It was only a few minutes ago but sometimes these things happen so fast it's hard to remember all the details…. I've been sick for the past 2 days and today was my first day out. I went back to my old hostel to leave a note for a friend, Nick. There was another guy there, Shakir, who was desperately trying to get with me. I kissed him once but he seemed drunk so I told him it was bad timing, I had already met someone. Before heading out, I went upstairs to say hi to one more friend, Clyde from the states. Shakir followed me upstairs and said he was going to take a shower. He invited me to join. I said yes because the water at my current hostel is pretty cold and after 2 days of being sick, I just really wanted a hot shower. As soon as I got in the bathroom, he forced me to my knees. I said "stop!" but he just got more violent. He lifted me up and put his penis in my vagina. I asked him to stop, again, as I began to cry. When he shoved it in my ass, that's when I passed out. I woke up a few minutes later and saw him trying to creep out the door. When he saw that I was awake, he came back to finish me off in the shower. I have all those fucked up feelings that we get after rape…shame, disgust, suffering. I'm here, alone, and any DNA has been wiped away in the shower. The South African police will just roll their eyes when I walk in. Feeling sicker than ever now. Needless today, I'm going to disappear for a bit. Just need to enjoy the freaking sun and call my friends and family in the states. Love you guys. Thank you for always being there for me. All the more reason to continue @stoprapeeducate but not today. Today, I need rest. #StopRapeEducate

Continua após a publicidade

A post shared by I have many names (@ambertheicon) on

“Faz apenas alguns minutos, mas as vezes essas coisas acontecem tão rápido que é difícil lembrar de todos os detalhes… Eu estive doente os últimos dois dias e hoje foi o primeiro dia que eu saí. Eu voltei para o meu hostel para deixar um recado para o meu amigo, Nick. Tinha um outro cara lá, Shakir, que estava desesperadamente tentando ter algo comigo. Eu beijei ele uma vez, mas ele parecia tão bêbado que eu disse que era um mau momento, eu já tinha conhecido alguém.

Antes de sair, eu subi as escadas para dar ‘oi’ para mais um amigo, Clyde dos Estados Unidos. Shakir me seguiu pelas escadas e disse que ia tomar um banho. Ele me convidou para ir junto. Eu aceitei porque a água do meu hostel era muito gelada e depois de dois dias doente, eu realmente queria um banho quente. Assim que eu entrei no banheiro, ele me forçou a ajoelhar. Eu disse ‘pare!’, mas ele se tornou mais violento. Ele me levantou e colocou o pênis na minha vagina. Eu pedi para ele parar, de novo, e comecei a chorar. Quando ele colocou na minha bunda, foi quando eu desmaiei. Eu acordei uns minutos depois e vi ele assustado tentando sair pela porta. Quando ele viu que eu estava acordada, ele voltou para terminar comigo no banheiro.

Continua após a publicidade

Eu estou com todos esses malditos pensamentos que temos depois de um estupro… vergonha, nojo, sofrimento. Eu estou aqui sozinha, e todo o DNA sumiu pelo chuveiro. A polícia da África do Sul vai apenas revirar os olhos quando eu entrar. Me sentindo doente como nunca agora. Inútil hoje, eu vou desaparecer um pouco. Eu preciso aproveitar esse sol enlouquecedor e ligar para os meus amigos e família nos Estados Unidos. Amo vocês caras. Obrigada por sempre estarem aqui pra mim. Muito mais razões para continuar @stoprapeeducate mas não hoje. Hoje, eu preciso de descanso. #stoprapeeducate”

A publicação viralizou e os comentáros dividiram opiniões entre quem culpava a moça pelo estupro (DICA: a culpa NUNCA é da vítima) e quem dizia para ela buscar ajuda junto a polícia. 

Pouco depois, Amber postou foto da sua visão do kit estupro (exame que as vítimas de violência sexual são submetidas para colher provas de DNA) e deixou uma mensagem especial para quem a culpou pelo ocorrido.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

My view of the rape kit. Thank you all for being so loving & supportive during this time. Your messages pushed me to take action and to stand up for myself and for all rape survivors. For those who wish to BLAME ME or any other survivor out there, I want you to know that you are the very reason that I am so brutally honest. I could have hidden details. I could have kept some info to myself, but NO. You need to know the truth and to see the reality of the situation. No matter what a person does, it is not an invitation for rape. It doesn't matter if I kissed him. It doesn't matter if he was drunk. It doesn't matter if I said yes to a shower. I never said he could get violent with me. I never said he could make me bleed. I never said he could rape me. But still, that's how the scene went down. I don't need to explain myself but if you're wondering WHY I took a shower with him, it was written in the text, I'd been sick with food poisoning for 2 days and needed to sweat it out. My current place of residence has only cold water (third world problems are real!) and it seemed like a miracle to be offered a hot shower. That's not what he was there for though, because as soon as he got a chance, he threw me to the ground and had his way. Dealing with rape is hard enough but the aftermath is often even more traumatic but I did this for you and I did this for me. The US Embassy and the South African police are super supportive and he may be arrested as soon as this week. Thank you for the love. And for the victim blamers, I send love, peace, and enlightenment to you so that you may be a beacon of light for us, too. #StopRapeEducate #AmberAmour #AmberTheActivist #SouthAfrica #humanitarian #healing #education #africa #survivor #sexualassault #recovery #victimblaming #overcome #rapeculture #staystrong

A post shared by I have many names (@ambertheicon) on

“Minha visão do kit estupro. Obrigada a todos por serem tão amáveis e apoiadores nesse período. As mensagens de vocês me incentivaram a tomar uma atitude e levantar por mim mesma e por todas as sobreviventes de um estupro. Para aqueles que desejam ME CULPAR ou qualquer outra vítima por aí, eu quero que você saiba que você é a razão para que eu seja totalmente honesta. Eu podia ter escondido alguns detalhes. Eu podia ter guardado algumas informações somente para mim, mas não. Você precisa saber a verdade e a realidade da situação.

Continua após a publicidade

Não importa o que uma pessoa faça, não é um convite para o estupro. Não importa se eu o beijei. Não importa se ele estava bêbado. Não importa se eu disse sim para um banho. Eu nunca disse que ele poderia me violentar. Eu nunca disse que ele podia me fazer sangrar. Eu nunca disse que ele podia me estuprar. Mas ainda assim foi o que aconteceu. Eu não preciso me explicar, mas se você está perguntando POR QUE eu tomei banho com ele, estava escrito no texto, eu estava doente por 2 dias e precisava fazer suar. O lugar que eu estava me hospedando tinha apenas água fria (problemas de terceiro mundo são reais!) e parecia ser um milagre ter recebido a oferta de um banho quente. Não era por isso que ele estava lá, e assim que ele teve a chance, me derrubou no chão e fez do jeito dele.

Lidar com estupro já é difícil o suficiente, mas o depois é tão traumático quanto, mas eu fiz isso por você e fiz isso por mim. A Embaixada dos Estados Unidos e a polícia da África do Sul foram muito cuidadosas e talvez ele seja preso ainda essa semana. Obrigada pelo amor. E para quem culpa as vítimas, eu envio amor, paz e iluminação para você, para que você possa ser um suporte de luz para a gente também.”

O caso aconteceu há seis semanas, mas só agora o Brasil está tomando ciência e dialogando sobre o assunto – em especial, o de culpabilização da vítima.

Em entrevista a uma revista britânica, Amber contou que essa foi a terceira vez que foi estuprada, sendo a primeira aos 12 anos e a segunda aos 24. Ela continua seu trabalho de ativismo com o Stop Rape, Educate e isso acaba sendo um convite para que todos nós pensemos na culpabilização da vítima além do comprimento da saia.

Publicidade