Apareceu um emprego melhor, mas cadê coragem para largar o meu?

Nossa colunista de carreira, Cynthia de Almeida, avisa: o medo de sair da zona de conforto é normal. Não deixe que ele trave você, mas não se culpe por senti-lo!

Recebi um convite para um trabalho que parece melhor e mais promissor que o meu, mas me dá muito frio na barriga pensar em sair de onde estou, deixar colegas queridos e, principalmente, sair de um lugar com o qual já estou muito habituada. É muita covardia?

Não tem nada de covardia. Quando nos afastamos, mesmo que em pensamento, da nossa conhecida zona de conforto, nosso cérebro reage como se estivesse sendo ameaçado por um perigo real. Fomos treinados para não correr riscos e a neurociência está provando que o desafio do desconhecido envia à mente os mesmos sinais de uma dor física real. Nosso cérebro tem necessidade de conexões sociais e busca o tempo todo “fazer parte de um grupo”. Isso não quer dizer que você está condenada a viver mais do mesmo pela eternidade e não deva enfrentar e “desobedecer” o instinto natural. Só por entender que o problema não é seu em particular, mas do ser humano em geral, fica mais fácil encarar o mal estar e sair dele. Lembre-se disso antes de se culpar e, se você tem um prazo para tomar a decisão de aceitar ou não o convite, veja o que recomendam os neurocientistas: o ato de tomar uma decisão exige e consome muita energia. Portanto, durma antes de fazê-lo ou distraia a mente contemplando a natureza ou através de meditação. Ah, para repor o stress demandado, também vale comer um chocolate! Vá em frente e boa sorte!

Cynthia de Almeida é colunista de CLAUDIA e escreve aqui no site toda terça-feira. Mande sua dúvida de carreira para ela!