A vida inspiradora do pai que adotou bebê recusada por 20 famílias

Solteiro e homossexual, Luca Trepanese acolheu Alba, menina com síndrome de Down rejeitada por dezenas de casais

Em novembro, o italiano Luca Trapanese, 41 anos, lançou o livro “Nata per te”(Nascida para você, em italiano) para contar sua história com a pequena Alba, de um ano e meio. A bebê tem síndrome de Down e, até ser encontrada por ele, um homem solteiro e homossexual, havia sido rejeitada por dezenas de famílias. 

A experiência paterna de Luca é inspiradora. Ele sempre teve o desejo de adotar uma criança com deficiência e tem dedicado a vida a apoiar pessoas com problemas graves de saúde em Nápoles, onde vive.

Essa inclinação de Luca começou quando ele tinha 14 anos e seu melhor amigo descobriu que tinha câncer terminal, conforme contou em entrevista à rádio britânica BBC.

Na mesma época, ele passou a fazer trabalhos sociais em uma igreja de Nápoles e resolveu virar padre, decidido a trabalhar por pessoas em situação de necessidade. Luca ingressou no seminário aos 25 anos e, dois anos depois, apaixonado por um homem, tomou a decisão de sair. Os dois passaram 11 anos juntos e criaram uma ONG para promover trabalhos sociais.

Com o fim do relacionamento, Luca passou a morar sozinho, mas manteve o desejo de adotar. Em 2017, ele se candidatou para receber uma criança com doenças ou deficiências significativas, que tivesse sido rejeitada pelas famílias tradicionais.

Há alguns anos, ele havia ganhado um irmão adotivo, Francesco, 39 anos, que tem uma deficiência intelectual e é filho de uma professora aposentada amiga de Luca. “Graças à minha experiência pessoal, eu sabia que tinha os recursos necessários para lidar com os problemas que a criança tivesse”, contou. 

Em julho de 2017, Luca conheceu Alba, com menos de um mês de vida. A menina tem síndrome de Down, tendo sido abandona pela mãe ao nascer. Segundo conta, ela havia sido rejeitada por cerca de 20 famílias até chegar aos seus braços.

“Quando a segurei, me enchi de alegria e senti que ela era minha filha, que eu estava pronto para ser o pai dela”, lembrou ele em entrevista à rádio. 

Luca revelou que a filha tem uma personalidade forte e adora dançar. “Alba revolucionou completamente a minha vida. Ela me trouxe felicidade e uma sensação de plenitude”, disse.

Ele costuma compartilhar momentos fofos entre pai e filha com Alba em suas redes sociais.