Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

9 qualidades porretas de mulheres da ficção para adotarmos já

Qualquer que seja a sua área para aprimorar, algumas personagens nos ajudam com muita inspiração

Por Marcela Lima (colaboradora) Atualizado em 22 jan 2020, 01h57 - Publicado em 5 mar 2015, 12h45

Seja no Dia Internacional da Mulher, seja ao longo do ano… Reunimos algumas caraterísticas inspiradoras, porretas, arretadas ou faca-na-bota (depende de onde você está no Brasil) das mulheres da ficção. Girl power!

Princesa Leia: Luta por ideais

Reprodução
Reprodução

Em um meio em que poucas mulheres tinham espaço para lutar por seus ideais, Leia foi uma das personagens mais importantes de Star Wars. A princesa se juntou à Aliança Rebelde na luta contra o Império e levou seu irmão gêmeo – Luke Skywalker – para lutar. 

Elsa: Auto-aceitação

A princesa de “Frozen”, diferentemente de outras personagens da Disney, não busca um príncipe e acaba encontrando o autoconhecimento e a auto-aceitação. Elsa é a princesa do empoderamento!

Sybil Grantham: Quebra de padrões

Reprodução
Reprodução

Filha caçula do Conde de Grantham, a personagem de “Downton Abbey” é feminista, não esconde seus interesses políticos e luta pelo o que acredita no início do século 20. Em um jantar, ela apareceu com uma espécie de macacão e chocou a família, pois todas as mulheres deveriam usar vestidos. Ser nobre e casar com o chofer? Sem problemas para Sybil!

Nyota Uhura: Poder feminino

Reprodução
Reprodução

Inicialmente oficial-chefe de comunicações da Enterprise, Nyota Uhura foi uma das primeiras personagens femininas a alcançar uma posição importante – no caso, a de Comandante – em uma produção de ficção científica como Star Trek.

 

Mulan: Coragem

Divulgação / Disney
Divulgação / Disney

Continua após a publicidade

Para ajudar seu pai, debilitado devido à idade avançada, Mulan treina para guerrear e o substitui na luta do exércio imperial chinês contra os hunos. Em um meio dominado por homens, a personagem se disfarça de guerreiro, mas não deixa de mostrar o poder feminino e se destaca!

Hermione Granger: Perspicácia

 

Aluna mais dedicada de Hogwarts, a personagem de “Harry Potter” usou e abusou de sua inteligência e perspicácia para solucionar problemas e ajudar os amigos.

Cristina Yang: Desafios não são barreiras

Divulgação/Série
Divulgação/Série “Grey’s Anatomy”

Em Grey’s Anatomy, a médica Cristina sempre encara os desafios e, ao superá-los, cresceu muito profissionalmente e emocionalmente durante os anos.

Miranda Priestly: Auto-confiança

 

 

Ela é polêmica, mas Miranda é uma mulher bem-sucedida, editora-chefe de uma reconhecida revista de moda, exigente com os funcionários e influente no meio em que trabalha. Só poderia ser um pouco mais simpática e bem-humorada como a nossa próxima…

Lorelai Gilmore: Independência (e humor)

 

 

“Sabe, se morrêssemos agora e entrássemos em decomposição, isso nos aspiraria e ninguém nunca ia saber”

Mãe solteira, Lorelai Gilmore não deixou de fazer uma piada até o fim da série “Gilmore Girls”. Além do bom humor, Lorelai também tinha o empreendedorismo nas veias e era dona de uma pousada bem administrada.

Continua após a publicidade
Publicidade