CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

10 alertas sobre o andador infantil

O andador infantil é um acessório perigoso? Prejudica o desenvolvimento do bebê? Tire suas dúvidas!

Por Patrícia Gattone (colaboradora) Atualizado em 22 out 2016, 17h33 - Publicado em 4 ago 2013, 22h00
 

É verdade que o andador prejudica o desenvolvimento da criança?
Foto: Getty Images

No início deste ano, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) anunciou que todos os profissionais da entidade vão contraindicar o uso do andador infantil já nas consultas do pré-natal. No Canadá, é proibido comercializar o produto desde 2007 por causa do risco de acidentes. Na Europa e nos Estados Unidos, uma lei semelhante está em análise. A SBP desaprova o uso do produto desde que uma criança faleceu, em 2009, no Rio Grande do Sul, depois de um acidente com o aparelho. Em janeiro, uma família baiana também perdeu seu bebê. Confira abaixo dez alertas sobre o uso do andador:

1. O andador causa mais acidentes que qualquer outro produto voltado para bebês entre 5 e 15 meses.

2. Ele é responsável por 80% das lesões que resultam de quedas em escadas ou tropeços.

3. No Brasil, a cada ano são realizados cerca de dez atendimentos de emergência para cada mil bebês com menos de 1 ano, provocados por acidentes com o produto.

4. Em um terço dos casos, as lesões são graves, geralmente fraturas ou traumas cranianos, necessitando de hospitalização.

Continua após a publicidade

5. Ao usar o andador, o pequeno leva mais tempo para ficar de pé e caminhar sozinho, além de engatinhar menos.

6. Colocar a criança de até 1 ano num veículo que pode atingir a velocidade de 1 metro por segundo é como entregar a chave do carro a um menino de 10 anos.

7. O bebê não precisa do andador para se entreter: sente-se com ele e faça caretas, conte histórias ou brinque.

8. Os próprios pais podem ensinar a criança a andar auxiliando de acordo com a fase do desenvolvimento físico-motor em que ela se encontra.

9. Não existe idade correta para a criança começar a andar, mas, de modo geral, por volta dos 12 meses ela já está apta a fazê-lo.

10. Caso os pais, de fato, não tenham condições de ficar o tempo todo ao lado do bebê, ele deve ser colocado num cercadinho com brinquedos indicados para a sua idade.

Fontes consultadas: Maria Teresa Uras, neonatologista e Lia Gonsales, da ONG Criança Segura
 

Continua após a publicidade

Publicidade