Todo o estado de São Paulo é área de risco de febre amarela

Decisão da OMS foi tomada "considerando o aumento da atividade do vírus"

Nesta terça-feira (16), a Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a considerar todo o estado de São Paulo como área de risco de febre amarela. Segundo a entidade, a decisão foi tomada “considerando o aumento da atividade do vírus” observado na região.

Em comunicado, eles recomendam que visitantes estrangeiros se vacinem antes de visitar qualquer área da região. Antes disso, a indicação não incluía a capital, grande parte do interior e outros estados do país. “A determinação de novas áreas consideradas de risco de transmissão de febre amarela é um processo contínuo, e atualizações serão fornecidas regularmente”, afirma a OMS.

Até esta terça-feira (16), a recomendação do governo do estado e da Prefeitura de São Paulo era de que somente as pessoas que em regiões perto de matas em que foram encontrados macacos mortos com o vírus da febre amarela tomassem a dose convencional. As demais pessoas, que vivem e circulam fora da área de risco, deveriam esperar o início da vacinação fracionada.

Mortes

A Secretaria Estadual da Saúde já confirmou 21 mortes por febre amarela silvestre no estado desde janeiro de 2017. Desde os novos casos, os postos de saúde têm ficado lotados e com fila de horas para a imunização contra a doença com a dose convencional.