Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Proteja-se do câncer de colo de útero

Pesquisam estimam que cerca de 300 milhões de pessoas já tiveram contato com vírus HPV, causador da doença

Por Redação M de Mulher - Atualizado em 17 jan 2020, 09h27 - Publicado em 1 dez 2011, 21h00

Existem mais de 140 tipos de vírus chamados HPV, e alguns podem causar câncer no colo do útero, alertam os especialistas. A estimativa é que cerca de 500 mil novos casos desse câncer surgem no mundo todos os anos.

Os sintomas do vírus não são visíveis. Assim, a mulher pode desenvolver um tumor sem perceber. “Isso dependerá da imunidade. Se estiver baixa, a pessoa ficará mais propensa às doenças sérias”, diz Glauco Baiocchi, diretor de ginecologia do Hospital A.C. Camargo.

Tire suas dúvidas sobre o vírus e proteja-se:

É fácil pegar HPV?
Sim, o vírus é fácil de ser transmitido pelo sexo. Por isso, use camisinha em toda relação e faça todo ano os exames preventivos (como o papanicolau, gratuito pelo SUS).

Ter HPV significa que a pessoa seja promíscua?
Não. A mulher pode entrar em contato com um dos vírus do HPV logo na primeira relação sexual. Claro que as chances de contágio dessa (e de outras doenças sexualmente transmissíveis) aumentam se houver maior número de parceiros. “Quem é sexualmente ativa precisa se preocupar mais”, diz Glauco. Até porque o câncer de colo de útero é o segundo tipo de câncer mais comum entre as brasileiras.

É possível pegar HPV em banheira de motel, vaso sanitário ou fazendo depilação?
Teoricamente você pode pegar em banheira de motel e vaso sanitário, sim. Mas isso é raro. Em relação à depilação, confira se a cera é reaproveitada, se o palito usado é descartável e se a limpeza do local é adequada para não correr riscos.

Existe prevenção?
Além da camisinha, que é importantíssima, existe a prevenção por meio de vacinas, só que elas podem custar até R$ 500. As pessoas indicadas para tomar são de ambos os sexos, de 9 a 26 anos, que ainda não iniciaram a vida sexual.

Se for detectado o HPV uma vez, terei problemas para o resto da minha vida?
Não. A lesão pode ser eliminada pelo seu corpo. Quem é diagnosticado com a doença precisa ficar com a saúde estável e não deixar a imunidade cair. O HPV pode regredir sozinho. Se isso não acontecer, é necessário fazer um tratamento e tomar remédios. Se, mesmo assim, a doença não for curada, talvez seja preciso um tratamento com laser no consultório. É o médico quem vai dizer qual é o tratamento mais adequado.

Continua após a publicidade
Publicidade