Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Legalização da maconha: por que este debate pode estar mais próximo da sua vida do que você imagina

A discussão sobre o assunto está ganhando novas cores. Vai além de consumir ou não, de ser a favor ou contra. Ela envolve agora o uso medicinal dos derivados da planta.

Por Redação M de Mulher Atualizado em 15 jan 2020, 05h28 - Publicado em 25 abr 2014, 21h00

Esse ano, muita gente descobriu um motivo a mais para ir discutir sobre a legalização da maconha: ela também pode ser remédio. Mês passado, o curta “Ilegal” mostrou ao Brasil a história de Katiele, uma mãe de Brasília que luta para tratar a epilepsia grave de sua pequena filha Anny, de 5 anos, com canabidiol – o derivado de maconha fez a criança sair de 60 convulsões por semana para nenhuma. Só que a substância é proibida no Brasil e Katiele precisa contrabandear o produto. Sua história comoveu as pessoas, e plantou uma pulga atrás de muitas orelhas. Muitos se surpreendem com o fato de que a “erva do diabo” pode ser um “santo remédio”.

Cada vez mais, as pessoas entendem que abrir o debate sobre o assunto não é coisa de maconheiro. Não se trata apenas sobre o direito de cada um fumar o que quer. É uma luta contra vários efeitos colaterais da fracassada guerra às drogas, por menos violência, menos corrupção, menos violações de direitos humanos, menos desperdício de dinheiro público e uma questão de saúde. É ou não é um assunto que diz respeito a todos nós?

É surpreendente a nossa ignorância sobre o fato. Porque a humanidade conhece o poder medicinal da maconha há mais de 2 mil anos. “Esquecemos” disso por causa de uma muralha de preconceito e desinformação que foi erguida ao longo do século 20, com a proibição das drogas. Conforme a história do “Ilegal” se espalha, as pessoas veem o outro lado do muro, o outro lado da história, e mudam de ideia. Algumas, encontram uma solução para dramas similares em suas famílias.

Outro dia, no final de uma exibição do filme, uma jovem que veio de Jacareí só para o evento veio me procurar. Queria informações sobre a utilidade da Cannabis para sua mãe com câncer. A erva pode ajudar pacientes da doença de vários modos: ao controlar náuseas e vômitos, ao reduzir dores e talvez até combatendo os tumores. Só que a planta e todos os derivados que poderiam ajudar essa mulher e os milhões de brasileiros com câncer são proibidos no Brasil. Hoje (25/04), essa jovem vai à Marcha da Maconha, em São Paulo, e não é para fumar maconha. É por amor à mãe.

Tarso Araujo é jornalista, autor do Almanaque das Drogas e co-diretor do filme Ilegal.

 

Veja o vídeo abaixo:

 

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=CtJJ1pzMKxs%5D

Continua após a publicidade
Publicidade