CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Descubra como a automedicação pode arruinar sua saúde

Entenda por que tomar remédio por conta própria pode ser um dos maiores perigos para a sua saúde

Por Redação M de Mulher Atualizado em 16 jan 2020, 10h32 - Publicado em 3 set 2012, 21h00

Foto: Getty Images


Um comprimido para dor de cabeça, outro para cólica, mais um para má digestão… Apesar do alerta de médicos, a maioria dos brasileiros toma remédio por conta própria. Agora um dado assustador:
a automedicação é responsável pela morte de 20 mil pessoas por ano no país, segundo a Associação Brasileira da Indústria Farmacêutica, sendo a maior parte dos casos resultante de intoxicação e reações alérgicas.

“Medicamentos podem salvar e matar”, diz o clínico geral Antonio Sproesser, autor do livro Pergunte ao Doutor – O Guia para Solucionar suas Dúvidas mais Frequentes (Ed. Universo dos Livros). “A dosagem errada pode causar sérios problemas. Cansei de ver gente no pronto-socorro com arritmia cardíaca e falta de ar pelo uso indevido de descongestionante nasal.”

Perigo à vista

Interação medicamentosa: É o nome da reação provocada pelo uso indiscriminado de diferentes remédios consumidos ao mesmo tempo – o que pode potencializar ou reduzir o efeito de um dos medicamentos, anular o tratamento ou piorar sua saúde.

Antitérmicos e anti-inflamatórios: Se usados aleatoriamente, podem causar lesões no estômago, fígado e rins, muitas vezes irreversíveis. 

Continua após a publicidade

Uso excessivo de antibióticos: Aumenta o risco de casos de superbactérias, que ficam resistentes aos tratamentos existentes.

Erros comuns

– Resolver na farmácia algum problema de saúde. Pior: ser atendido por um vendedor, e não pelo farmacêutico responsável.

– Ficar com preguiça de marcar consulta ou ir ao pronto-socorro e seguir orientações de pessoas não preparadas (apesar de terem boas intenções) como mãe, vizinhas e amigas. O remédio que solucionou o problema da outra não necessariamente vai solucionar o seu!
 
– Armazenar remédios em casa, muitas vezes sem bula e vencidos, e em locais impróprios, como banheiro e cozinha – geralmente ambientes úmidos e quentes.

O governo está de olho!

Na luta contra o hábito da automedicação no país, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou recentemente que estuda uma nova regulamentação para controlar a venda de medicamentos de tarja vermelha. Desde 2010, a entidade já exige a retenção de receita para antibióticos, nos moldes das drogas de tarja preta. E, como há muitos remédios expostos nas prateleiras das farmácias, controle-se! Compre apenas o recomendado pelo médico.

Continua após a publicidade

Publicidade