Afinal, café em excesso prejudica ou não o coração?

A pesquisa analisou as diferenças do impacto da bebida nas artérias a depender do consumo

Você é uma dessas pessoas que não vive sem café? Ouve o tempo todo que o consumo exagerado faz mal, mas mesmo assim não consegue parar? Pois aqui está uma notícia que pode amenizar um pouco suas preocupações.

Um estudo publicado na última segunda-feira (3) pela British Heart Foundation encontrou evidências de que a variação na quantidade ingerida de café não implica em diferentes danos ao coração.

Até então, acreditava-se que o alto consumo aumentaria a rigidez das artérias, o que dificultaria o transporte de oxigênio e nutrientes para o corpo, sobrecarregando o coração e tornando maiores as chances de um ataque cardíaco. Com o novo estudo, foi observado que quem bebe muito não está mais propenso a sofrer complicações do que quem consome pouco.

Realizada pela Queen Mary University of London, a pesquisa analisou os efeitos da bebida em mais de 8 mil pessoas no Reino Unido, separadas em três grupos: um para aquelas que bebiam menos que um copo de café diariamente, outro para as que bebiam entre um e três copos e um último para quem ingeria, no máximo, 25 copos por dia. Participantes que bebiam mais que isso foram excluídos da análise.

Em seguida, todos foram submetidos a exames de ressonância magnética e oximetria. Os pesquisadores também levaram em conta fatores correlacionados à rigidez arterial como idade, gênero, etnia, altura, peso, pressão arterial e consumo alcoólico e de cigarros.

“O que descobrimos é que beber mais que três copos de café por dia não aumentou a rigidez das artérias em comparação com beber um copo ou menos”, disse o Dr. Kenneth Fug, líder da análise a CNN. “Não estamos dizendo para que bebam 25 copos por dia”, pondera.

Leia também: ‘Síndrome de burnout’ entra na lista oficial de doenças da OMS

+ Psiquiatras reúnem histórias reais de crianças com transtornos mentais

Vote e escolha as vencedoras do Prêmio CLAUDIA