Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

AVC: conheça os sintomas e as formas de prevenção

Embora atinja mais os idosos, vem crescendo o número de pessoas entre 15 e 34 anos que tiveram um derrame. Saiba mais sobre esse problema e conheça as atitudes para evitá-lo.

Por Redação M de Mulher Atualizado em 15 jan 2020, 04h29 - Publicado em 2 jun 2014, 21h00

Entre as atitudes para prevenir o AVC estão adotar uma dieta equilibrada, praticar atividade física e tentar relaxar.
Foto: Getty Images

 

Derrame cerebral

O AVC – acidente vascular cerebral – é popularmente chamado de derrame. O tipo mais comum é o isquêmico e acontece quando coágulos entopem vasos que levam sangue à cabeça. Essa reação danifica algumas partes do cérebro responsáveis por funções do corpo, como a visão. O AVC pode surgir devido a uma cardioembolia (problema no coração que obstrui uma artéria), por aterosclerose (depósito de placas de gordura na artéria), diabetes ou hipertensão. Em 20% dos casos não há causa conhecida.

Mais grave
Responsável por 15% dos casos, o AVC hemorrágico é mais perigoso. Neste caso, há uma ruptura dos vasos sanguíneos intracranianos que causa derramamento de sangue entre o cérebro e o crânio ou em outra área.

 

Confusão mental

A pessoa que está sofrendo um AVC perde a noção do que fala e faz. Conheça outros sintomas que também denunciam a doença:

Continua após a publicidade

· Forte dor de cabeça
· Perda de força de um lado do corpo
· Falta de coordenação motora
· Perda da visão total ou parcial
· Falta de sensibilidade em um lado do corpo

 

Pressão sob controle

Controlar a pressão arterial é a forma mais fácil de prevenir ocorrência do AVC. O normal é ficar em 12 por 8, acima disso precisa de acompanhamento médico. Manter o diabetes em equilíbrio, colesterol em nível normal, peso corporal adequado (cuidado com a barriguinha!), evitar cigarro, álcool em excesso e estresse também ajuda a afastar o risco.

Alguém da família?
Se uma pessoa da sua família teve AVC redobre os cuidados, fazendo exames periódicos. Mas há outros fatores que devem ser considerados. Um deles é a idade. A cada dez anos de vida após os 55 anos de idade, o risco de um AVC dobra.

 

Socorro imediato

Quando presenciar alguém com sintomas de AVC encaminhe-a com a máxima urgência a um serviço médico. Não espere para ver se ela melhora com o passar do tempo. Para evitar sequelas, o socorro deve acontecer em menos de três horas do aparecimento dos sintomas

Continua após a publicidade
Publicidade