Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Aprenda a lidar com a constipação idiopática crônica

O problema afeta principalmente mulheres e pode ocorrer em qualquer idade, causando desconforto e atrapalhando a rotina

Por Abril Branded Content Atualizado em 22 fev 2021, 16h21 - Publicado em 22 fev 2021, 11h00

A evacuação regular de até três vezes por semana promove um hábito intestinal considerado como normal.¹ O dr. Ricardo Cerqueira Alvariz, gastroenterologista da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), diz que “manter o hábito evacuatório faz uma diferença enorme na rotina”. Ele explica que, no consultório, as queixas são de desconforto abdominal, variações de humor frequentes e inchaço constante, que podem até atrapalhar o desempenho profissional e, muitas vezes, a qualidade de vida dos pacientes.¹

Esses são alguns dos sintomas da constipação idiopática crônica. Uma das pacientes do dr. Ricardo descobriu a doença depois de uma conversa com uma colega de trabalho que tinha o mesmo problema. “Eram os mesmos sintomas desde criança, mas eles foram se agravando ao longo do tempo”, relata o gastroenterologista.

A constipação idiopática crônica é uma condição bastante comum, embora pouco falada. “Na população em geral, ela atinge 15% das pessoas, em média. Entre a população acima de 60 anos, uma em cada três”, informa o dr. Ricardo. As mulheres são mais afetadas, com dois em cada três casos diagnosticados.¹

Trata-se de uma doença crônica na qual a evacuação ocorre com menos frequência do que o usual, ou quando as fezes são duras, secas, e sua expulsão é dolorosa ou difícil ou, ainda, se a evacuação é incompleta ou necessita de manobras digitais, inclusive, para acontecer.² Existem outros tipos de constipação também, como a provocada por medicamentos à base de opioides, utilizados como analgésicos.¹

“Muitos acreditam que evacuar todos os dias é suficiente. Na verdade, se as fezes forem duras e ressecadas, pequenas e arredondadas, e o ato de evacuar for desconfortável, essas pessoas podem sofrer de constipação idiopática crônica”, explica Alvariz.

Sabe-se que 75% dos pacientes acometidos pela constipação idiopática crônica dizem passar mais de uma hora no banheiro.1 Esse fato traz prejuízos à vida pessoal e profissional, pois o indivíduo pode deixar de viajar, socializar, fazer exercícios físicos e até perder dias de trabalho.3

Continua após a publicidade

Atenção aos sintomas

As causas da constipação idiopática crônica não são conhecidas. Entretanto, se estiverem presentes, no mínimo, dois dos sintomas especificados abaixo por pelo menos três meses, é possível que o diagnóstico esteja a caminho e é importante ficar atento:1 

Sintomas
Takeda/Divulgação

Caso, além desses sintomas, ocorra dor abdominal pronunciada, é preciso investigar. “Se houver sangramento ou outros sinais de alarme, é fundamental fazer exames complementares, pois diagnósticos adicionais importantes podem estar acometendo a pessoa, como a síndrome do intestino irritável com predominância de constipação”, informa o especialista. 

Diferentes tratamentos

O dr. Ricardo Alvariz explica, ainda, que algumas medidas são recomendadas antes de se recorrer a medicamentos. Essa abordagem inicial inclui acrescentar fibras e líquidos à dieta e fazer atividades físicas.2 “Também é fundamental respeitar a vontade de ir ao banheiro”, diz o especialista. “Com frequência, as pessoas deixam esse momento para depois, seja porque estão na rua ou porque têm algum compromisso.”

Se essas medidas não funcionarem, é importante revisá-las em uma consulta médica, que pode ser com um gastroenterologista ou proctologista. “O médico poderá traçar o melhor tratamento. Além de algumas medidas, hoje também existem medicamentos que proporcionam mais qualidade de vida aos pacientes”, esclarece Alvariz.

Em todos esses casos, é fundamental deixar de lado os tabus sobre o assunto e procurar um médico para conversar com ele abertamente sobre as dificuldades – que podem limitar, e muito, o cotidiano e a vida dos pacientes.

*C-ANPROM/BR/LUB/0006 Fev2021 – Material destinado ao público geral

Referências bibliográficas

1 M1. Lacy BE, Fermin M, Chang L, et al. Bowel Disorders. Gastroenterology. 2016; 150:1393-407.
2 Manejo dos sintomas comuns de doenças gastrointestinais da comunidade, World Gastroenterology Organisation Practice Guidelines, maio de 2013. Disponível em: https://www.worldgastroenterology.org/UserFiles/file/guidelines/common-gi-symptoms-portuguese-2013.pdf.
3 Healio: Medical News, Journals and Free CME. CIC may negatively impact lifestyle for women on a daily basis. Disponível em: https://www.healio.com/news/gastroenterology/20200408/cic-may-negatively-impact-lifestyle-for-women-on-a-daily-basis. Acesso: 20 jan. 2021.

Continua após a publicidade
Publicidade