2º dia – Como diminuí meu colesterol em 21 dias – sem remédios

Acompanhe o meu diário e descubra como eu fiz para conquistar uma vida mais saudável. Vida real mesmo, nada de lero-lero!

Buenas!

Recebi algumas mensagens que perguntavam se a matéria de ontem vai ter continuação. Vai ter sim – e ela começa agora! A cada 24h eu volto aqui para contar tudo o que me aconteceu, durante esses próximos 20 dias. É só você acessar a página inicial do nosso site, ou então acompanhar todos os links disponívei na primeira postagem. Borá me acompanhar nesse desafio?!

Parei ontem no meu almocinho com mexerica. Se lembram? Pois bem. Comi a mexerica no meio da tarde e, uns 40 minutos depois, comi também um iogurte natural com adoçante e granola, assim como o previsto na dieta. Ah, e esse é o único jeito de eu comer adoçante. Eu definitivamente odeio tudio que não seja açúcar, não tem jeito. Já experimentei um monte de opções e não desce. A dra. Bianca, minha nutricionista, me indicou comprar iogurtes nas versões light. Mas gente, já é iogurte né? Tentei um e já admito que desisti. Ou é o natural com adoçante e granola (para enganar um pouquinho), ou é com açúcar mesmo. Sigamos.

À noite, como eu tenho aula, combinamos de eu trazer um lanche natural de casa, que pode ser feito com frango, atum ou queijo branco. Comprei um pão integral DELICIOSO de chia com macadâmia e recheei com rúcula e uma mistura de atum, maionese e salsinha. Ficou show! Guardei na geladeira do trabalho, levei para a faculdade dentro de uma sacolinha térmica e deu tudo muito certo. Até eu chegar em casa e encontrar um pedaço enorme de queijo parmesão em cima da mesa. Peguei uma lasquinha, mandei ver dois figos bem docinhos e geladinhos e fui direto para o quarto. Dormi bem.

Já hoje eu acordei com bastante fome. Isso porque sou acostumada a chegar em casa e devorar tudo o que vem pela frente. E como ontem a ceia foi bem light, acho que meu corpo entrou em estado de alerta emitindo rugidos vindos da minha barriga nesta manhã. Imagino que eu tenha resistido bem por conta de ter sido meu primeiro dia. Vamos ver como será daqui para a frente. Caprichei em uma tapioca com creme vegetal, mamãozinho, café e iogurte – doce mesmo. Só que ao contrário de ontem, não pude ir à academia. Faço um curso às terças de manhã e vou ter que deixar para mais tarde. Agora, eis a questão: por que temos que fazer exercícios para diminuir o colesterol?

O colesterol chega no nosso corpo de duas formas: é uma gordura produzida pelo nosso fígado e também pode ser ingerida a partir da nossa alimentação. “O organismo precisa dele para integridade das nossas membranas celulares, dos sais biliares e para a formação de hormônios sexuais”, conta a doutora Tânia, cardiologista. “Ele estando em uma concentração que não ultrapasse os 200 mg/dL, é o equivalente a um metabolismo normal”, conta ela.

Como no meu caso – 251 mg/dL – essa quantidade está além do aceitável, eu preciso praticar atividade física. Isso porque durante o exercício, a circulação sanguínea aumenta e ativa o fluxo de sangue nas veias e artérias. Isso evita que gorduras como os triglicérides e o LDL (que fazem parte do colesterol) se instalem e se acumulem nas paredes das artérias. “Pensa em uma torneira. Quando você tem uma com ferrugem, há uma turbulência ao abrí-la. Passemos isso para o sangue e nossas veias e artérias. Há um grande acúmulo de plaquetas nas paredes por conta do fluxo quem gera o trombo”, explica a dra. Tânia. E é esse bendito trombo que causa coágulo por conta de pressão alta, fumo e altos níveis de colesterol, tendo como consequência doenças como infartos e derrames. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 17 milhões de pessoas morrem em todo o mundo devido às doenças do coração, sendo esta a causa número um de mortes no Brasil.

iStock/Thinkstock/Getty Images iStock/Thinkstock/Getty Images

iStock/Thinkstock/Getty Images (/)

Além disso, os exercícios alteram a produção de enzimas que controlam os níveis de colesterol no sangue e combatem o acúmulo de gordura – um dos maiores fatores de risco para doenças cardiovasculares. Fora o bem-estar, a disposição e a sensação de prazer, né! Bom, essa conversa toda me deu vontade de ir ao parque e correr hoje à noite. O dia está corrido, mas vou tentar encaixar os horários!

Stephanie Bevilaqua Stephanie Bevilaqua

Stephanie Bevilaqua (/)

Hora do almoço: hoje foi dia de legumes crus, saladrinha, feijão, frango e uma banana para mais tarde. Mas como meu racional e meu emocional resolveram se desentender depois de eu ter escrito esse texto, falado sobre mortes e doenças, me bateu uma vontade ENORME de comer um chocolatinho depois do almoço. Alguém me segura?!

Caso tenha ficado alguma dúvida ou você queira me perguntar, ou compartilhar alguma coisa, me escreva! Espero que com as minhas dicas você também possa ter uma vida melhor e mais saudável. 🙂 Até amanhã!