Vítima de bullying, garota sofre estupro coletivo e se suicida

A mãe da adolescente australiana encontrou uma carta no computador da filha, que foi perseguida na escola durante anos – até que não aguentou mais

A australiana Linda Trevan postou em seu Facebook uma carta pedindo o fim do bullying após sua filha, Cassidy Trevan, cometer suicídio, aos 15 anos de idade.

Linda disse ao portal australiano 9news que Cassidy estava no sétimo ano de um colégio público de Melbourne quando começou a ser vítima de bullying intenso por um grupo de meninas. Cassidy sofria ataques em suas redes sociais e era seguida pela cidade.

“O bullying começou com alguns insultos e xingamentos, mas ela foi agredida algumas vezes. Vandalizaram a cerca de nossa casa e jogaram cascas de banana na porta da frente”, disse Linda. A situação ficou tão ruim que Cassidy perdeu todo o quarto trimestre na escola em 2013 – e piorou.

Depois de passar por um programa de recuperação, a adolescente conseguiu vencer as perseguições e passou a frequentar a escola duas vezes por semana em 2014. Mas as ameaças não pararam, até o episódio ter um fim trágico.

Segundo Linda, as garotas que haviam praticado bullying com Cassidy – e agora diziam estar arrependidas e prontas para se tornarem amigas – atraíram a adolescente a uma casa abandonada, onde ela foi vítima de um estupro coletivo.

Leia também: Como identificar se seu filho pratica bullying na escola

“Eram garotos mais velhos que Cass não conhecia. Duas garotas sentaram e esperaram. Dois garotos a estupraram enquanto um terceiro segurava a porta”, ela disse. Cassidy tinha apenas 13 anos de idade e, por causa do medo de sofrer retaliação, não fez uma denúncia formal.

Depois do estupro, a menina sofreu com pesadelos, ansiedade e ataques de pânico. Ela mudou de escola por causa do trauma, mas o bullying não acabou. Ela ainda sofria ataques via telefone e redes sociais.

Leia também: Estupro coletivo não é só covardia. É ideologia 

Cassidy se matou dois anos depois e deixou uma carta – encontrada recentemente em seu computador por sua mãe. Linda divulgou o texto para chamar a atenção do mundo sobre a impunidade no caso. Leia trechos:

Meu nome é Cassidy Trevan e eu fui estuprada.

Se alguém algum dia tentar isso com você, vale a pena lutar. Lute! Se você lutar não vai se arrepender pelo resto da sua vida. Você pode fazer isso.

Seja cuidadosa, esteja avisado, esteja seguro.