Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Saiba como montar sua primeira adega

Sommelier dá dicas de que tipo de vinho escolher e quando vale investir em um modelo climatizado

Por Estúdio ABC - Atualizado em 8 nov 2016, 10h48 - Publicado em 9 set 2015, 15h24

Você guarda suas garrafas de vinho na horizontal, como sempre ouviu que é correto fazer. Mesmo assim, ao abrir uma garrafa durante um jantar com amigos, percebeu que o gosto do vinho estava estranho. Pois essa situação é bem comum. Armazenar vinho parece uma tarefa simples, mas não é.

“Há três fatores que fazem um vinho tinto sofrer”, afirma Gabriel Raele, sommelier do Bardega, wine-bar de São Paulo. “Temperatura, luminosidade e vibração interferem na qualidade dos tintos. Ter uma adega climatizada em casa é a melhor maneira de preservar a bebida. Além disso, não é preciso se preocupar com a temperatura do vinho na hora de servir. Ela estará sempre correta, por volta dos 16 graus.”

Para a decisão de que modelo de adega comprar, Raele recomenda levar em conta seu perfil de consumo. Há dois tipos de vinhos: aqueles para consumo imediato, ou quase imediato, que compramos já sabendo quando será tomado; e os chamados vinhos de guarda, que ficam armazenados por mais tempo, muitas vezes para a bebida evoluir dentro da garrafa.

“Se a pessoa pensa em ter vários rótulos de guarda, é bom investir numa adega com mais espaço, com capacidade para, pelo menos, 24 garrafas. Para quem compra apenas para consumo imediato, um modelo entre 12 e 24 garrafas já é suficiente”, diz Raele.

Continua após a publicidade

Mas, segundo o sommelier, nem sempre a adega climatizada é necessária. “Se a pessoa tem duas ou três garrafas de vinho tinto, basta tomar alguns cuidados na hora de armazená-las.” É fundamental procurar um local onde a temperatura é mais amena e que fique longe do calor do sol. Guardar a garrafa na horizontal também é importante, para manter a umidade da rolha. “No caso de vinhos tintos que ficam guardados em armários sem climatização, o indicado é levá-los à geladeira durante uma hora antes de servi-los”, afirma Raele.

A adega climatizada pode ser dispensável também para quem tem preferência por vinhos brancos, rosés e espumantes. “Esses tipos de bebidas exigem uma temperatura mais baixa na hora de servir, por isso podem ser mantidos na geladeira de casa.”

Adega recheada

O mais importante na hora de decidir que rótulos ter em casa é procurar ajuda especializada. “A maioria das lojas conta com profissionais prontos para auxiliar o cliente na compra, conforme o gosto pessoal e a necessidade de cada um”, diz o sommelier Raele.

Continua após a publicidade

Para quem quer ter um bom mix de bebidas para montar uma adega variada, Raele dá dicas de que vinhos vale comprar. “Dez garrafas é um número bacana para começar uma adega.”

Ela pode começar com:

1 garrafa de espumante

1 garrafa de vinho rosé

Continua após a publicidade

2 garrafas de brancos: 1 mais leve, como o Sauvignon Blanc, e 1 mais encorpado, como o Chardonnay (Estados Unidos ou Chile)

2 garrafas de tintos leves: Pinot Noir (Borgonha, Chile ou Nova Zelândia)

1 vinho tinto de guarda: Bordeaux, Brunello Di Montalcino ou Cabernet Sauvignon (Napa Valley, Chile, Argentina ou África do Sul) 

2 garrafas de tintos de médio corpo: Valpolicella (Itália), Priorato (Espanha) ou vinhos do D’Ouro (Portugal)

Continua após a publicidade

1 garrafa de vinho tinto encorpado: Malbec (Argentina), Shiraz (Austrália)

Publicidade