CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Rodrigo Constantino sofre consequências por declaração sobre estupro

Ele falou sobre como agiria, caso sua filha fosse estuprada numa festa. Dependendo das circunstâncias, daria "esporro" na filha e não denunciaria o agressor

Por Da Redação Atualizado em 5 nov 2020, 17h18 - Publicado em 5 nov 2020, 12h04

Não é de hoje que o comunicador Rodrigo Constantino gosta de gerar polêmica, sendo visto como alguém que fala o que pensa sem se importar com o “politicamente correto” – expressão que há anos vem sendo usada para desmoralizar o discurso pautado no respeito às minorias e às mulheres. Ele inclusive se apresenta como como uma pessoa “sem medo da patrulha do politicamente correto”. 

Mas uma declaração recente acabou fazendo com que Constantino enfrente consequências. Após a enorme repercussão do caso Mariana Ferrer na última terça-feira (3), ele abordou a temática do estupro em uma live – exibida na quarta-feira.

Resumindo, Constantino diz que se sua filha fosse estuprada numa festa, ele ia querer saber quais foram as circunstâncias. Dependendo da situação, caso ela tivesse se comportado de maneira que ele não aprova, daria “esporro” na filha e não denunciaria o estuprador.

A repercussão foi grande e, no mesmo dia, a Jovem Pan acabou demitindo Constantino. Em nota, a empresa declarou que “desaprova veementemente todo o conteúdo publicado nos canais pessoais e apresentado nessa live”. Ele atuava como comentarista político do veículo. 

Constantino alega que sua fala foi distorcida e, depois da demissão, mandou um recado aos que fizeram sua declaração viralizar: “Vocês venceram uma batalha, parabéns!”.

Continua após a publicidade

Agora, uma outra emissora de rádio – a Guaíba, do Rio Grande do Sul –  também está sendo pressionada para se posicionar a respeito do comunicador. A hashtag #demiteConstantinoGuaiba está nos Trending Topics Brasil – os assuntos mais populares do momento – do Twitter nesta manhã de quinta-feira. 

Há menos de um mês, ele integra a equipe do programa Boa Tarde, Brasil, participando do programa às segundas-feiras. CLAUDIA entrou em contato com a rádio Guaíba por volta das 11h30 e fomos informados de que a empresa ainda não tinha um posicionamento oficial sobre o assunto. Até o início da tarde, a empresa ainda não havia se manifestado publicamente.

Em contrapartida, a Record resolveu romper contrato com Constantino nesta quinta-feira. Ele escrevia para o site R7 e fazia comentários na Record News. “A decisão foi tomada em virtude das posições que o profissional assumiu publicamente sobre violência contra a mulher”, diz o comunicado da emissora.

ATUALIZAÇÃO

No meio da tarde, a Guaíba informou o desligamento do comunicador, que também foi afastado do jornal Correio do Povo, pertencente ao mesmo grupo. “Diante dos fatos recentes e em sintonia com a decisão tomada pelo Grupo Record, a Rádio Guaíba e o jornal Correio do Povo optaram por rescindir o contrato com o colunista Rodrigo Constantino, que ocupava espaços semanais na rádio e também no jornal”, diz a nota oficial. 

Continua após a publicidade

Publicidade