Rio de Janeiro, Salvador e Floripa: as capitais do calor

É tempo de comprar biquíni do tipo exportação e esquecer da vida nas atrações mais antenadas de três cidades que fervilham no verão: Rio, Salvador e Florianópolis.

Em um país com mais de 8 mil quilômetros de litoral, centenas de praias e balneários, eleger destinos quentes de verão chega a ser covardia. Existem muitos! Mas três cidades litorâneas estão entre as mais procuradas por turistas brasileiros e estrangeiros no país nesta época do ano: Rio, Salvador e Florianópolis. Se você está nesse grupo, veja nosso guia com os endereços, passeios e compras mais antenados da estação.


Rio em transe

O hit da temporada – O bairro da Urca, um dos mais tradicionais e tranquilos do Rio, junto ao maciço de rocha que compõe o Pão de Açúcar, é o lugar da vez. Os programas são passear no calçadão que beira a baía de Botafogo e ver o pôr do sol no ponto conhecido como “mureta da Urca”, em frente ao Bar Urca (barurca.com.br), petiscando os deliciosos pasteizinhos da casa.

A praia do sossego – A Prainha, escondida a 40 quilômetros do centro, de mar limpinho e cercada pela mata Atlântica, é ideal para esquecer da vida. Aqui só se chega de carro.

A praia do agito – Com orlas cinematográficas e movimentadas, Ipanema e Leblon fervem. O ponto de encontro dos descolados é o trecho em frente ao Country Club, entre a avenida Henrique Dumont e a rua Aníbal de Mendonça.

Onde comer – Aberto em dezembro no Leblon, o Bottega del Vino une enoteca e restaurante italiano. A casa é dos mesmos donos do badalado Duo (na Barra da Tijuca), Dionísio Chaves e Nicola Giorgio, que já foram do staff do grupo Fasano. Da carta de vinho, com 300 rótulos, alguns podem ser tirados em taça direto das máquinas. Partindo para a baixa gastronomia – que aqui se mantém no mesmo patamar da alta, já que a comida de botequim beira a excelência -, uma nova onda de petiscos gourmet tem invadido a cidade. Chefs criaram releituras sofisticadas de tira-gostos, como a coxinha do Q Gastrobar, recheada de confit de pato e acompanhada de dadinhos de tapioca e ovo de codorna .

O que comprar – Rio é sinônimo de biquíni tipo exportação. Aproveite para checar as novidades em lojas de moda de praia cariocas ainda pouco conhecidas em outros estados, como a Bumbum de Ipanema (bumbum.com.br) e a Banco de Areia (bancodeareia.com.br), que contam com várias filiais em ruas e shoppings da cidade. O modelo tomara que caia estampado ou na tendência color block será o hit das areias. Outro endereço bacana para compras é a Feira do Rio Antigo, com barracas de antiguidades, artesanato, livros e discos. Acontece no primeiro sábado de cada mês, entre 10 e 18 horas, na histórica rua do Lavradio, no Centro, antigo reduto de cabarés, hoje com lojas de móveis antigos e cafés.

Onde ficar – Prédio mais alto da orla de Copacabana, o antigo Le Méridien passou por uma reforma em 2010. Agora, como Windsor Atlântica (windsorhoteis.com.br/br), ganhou quartos decorados em tons pastel, com camas king-size e enxoval de primeira. 

Sombra e ostras frescas em Floripa

O hit da temporada – O bairro de Santo Antônio de Lisboa, um dos últimos redutos açorianos do país, é o novo polo gastronômico da ilha. O casario colonial preservado e os restaurantes com deques e mesinhas próximas à praia dão o clima bucólico ao lugar. Bom para namorar ou passear com os pequenos. Vale passar na charmosa Casa Açoriana (rua Cônego Serpa, 30) e ver as peças de artesãos e artistas locais, como pinturas, cestarias, cerâmica e rendas de bilro.

A praia do sossego – A Ilha da Magia é grande o suficiente para agradar aos mais diversos públicos, de esportistas a baladeiros, de jovens a famílias. A Lagoinha, também chamada de Lagoinha de Ponta das Canas, é cercada de casas de veraneio, tem mar calmo e faixa de areia mais larga, com espaço de sobra para caminhar e para as crianças brincarem.

A praia do agito – Jurerê Internacional não é das mais lindas, mas o glamour do entorno – casas de alto padrão, galerias de compras, beach clubs – faz dela uma espécie de Saint-Tropez brasileira. A cena é a de gente bonita desfilando com taças de espumante nas mãos nos deques do Praia Café de La Musique, Parador 12 – P12 (parador12.com.br), Donna (eldivinobrasil.com.br) e do novo Nomuro Riso Beach (nomurobeach.com.br).

Onde comer – Camarão, tainha grelhada e ostras frescas têm status de atração turística por aqui. O Rancho Açoriano (rodovia Baldicero Filomeno, 5634, Ribeirão da Ilha) e o Restinga do Recanto (rodovia Rafael da Rocha Pires, 2759, Praia de Sambaqui) são bons lugares para prová-los.

O que comprar – As pinturas e esculturas da artista plástica Eli Heil, uma senhora de 82 anos que recebe os visitantes em sua casa-museu (rodovia SC-401, 7079, eliheil.org.br), no bairro de Santo Antônio de Lisboa. Bastante conhecida na Europa e já presente em bienais de São Paulo, a artista catarinense apresenta uma exposição permanente de 425 obras de cores vibrantes e estética surrealista, espalhadas pelas salas e pelos jardins da casa. 

Onde ficar – Aberto no último mês de dezembro na Praia de Canasvieiras, o Al Mare Palace Hotel (rua Jorge Mussi, redemardecanasvieiras.com.br) tem apartamentos compactos e localização privilegiada, a 40 metros do mar. O aluguel de casas e apartamentos de temporada é também uma opção de hospedagem comum por aqui – gaúchos e argentinos passam o mês inteiro.

Novos sons de Salvador

O hit da temporada – Dê um tempo às ladeiras do Pelourinho e à arte barroca das igrejas para uma tarde no Museu de Arte Moderna da Bahia, o MAM (entrada gratuita), à beira da baía de Todos os Santos. Ali você confere obras de Tarsila do Amaral e Portinari e caminha em deques sobre a água para conhecer o jardim de esculturas. Nos fins de tarde de sábado, acontece no pátio o JAM no MAM, sessões de jazz, blues e bossa com músicos baianos e estrangeiros.

A praia do sossego – Com acesso escondido por casas do bairro do Rio Vermelho, a pequena Praia do Buracão permanece um segredo para muitos turistas. Silenciosa, sem quiosques, tem areia fina e arrecifes. Partindo da rua do Barro Vermelho, as entradas são, de um lado, por uma escada perto do quartel do Exército, e, do outro, pelas pedras.

A praia do agito – Mais afastada do centro, a Praia de Aleluia virou nos últimos anos point de jovens que praticam surfe e frescobol.

Onde comer – Depois do sucesso das cevicherias mundo afora, Salvador ganhou no ano passado a primeira casa especializada, a Ocho Ceviche Bar, instalada no moderno espaço conhecido como Pirâmide do Rio Vermelho, frequentado por jornalistas, publicitários e escritores. Peça o ceviche de salmão, polvo e lulas crocantes marinados com pimenta cambuci. Se prefere saborear o exótico receituário da Bahia – acarajé, moqueca, bobó, caruru, vatapá -, o Paraíso Tropical, instalado em uma casa cercada de pomares, é um clássico.

O que comprar – A estilista baiana Luciana Galeão conquistou o público quando levou pela primeira vez ao Fashion Rio, em 2005, seus vestidos, caftãs e saias com grafismos e estampas exclusivas. As peças também carregam mosaicos bordados, sua marca registrada, e podem ser encontradas tanto na Galpão de Estilo como na loja do Projeto Axé Design, no Pelourinho. Este último reúne criações de estilistas baianos e destina a renda para a ONG homônima, responsável por inserir jovens carentes no universo do design e da moda. 

Onde ficar – A estilista Ignez Petúnia, que vive entre a Bahia e Bali, transformou sua casa na pousada Casa Petúnia Boutique, evidentemente decorada com móveis, espelhos e peças importadas da Indonésia. São apenas cinco quartos, dois deles conjugados, para famílias de até seis pessoas. Ignez ainda mantém uma lojinha com as novidades que traz das viagens à Ásia.