Receita de sancocho de frango, prato típico da Colômbia

Forçadas a deixar seus países de origem, as refugiadas no Brasil conseguem manter suas raízes através da culinária

Yurley Pineda tem 27 anos. Há apenas quatro meses, Yurley abandonou sua casa, na Colômbia, para se salvar da violência dos grupos armados. “Se você os denuncia, eles matam ou fazem mal à sua família. Preferi me calar e fugir”, conta. Na capital paulista, trabalha na cozinha de um restaurante de comidas características de seu país. O sancocho, que tem presença garantida em datas festivas tradicionais, é um cozido de frango, carne ou peixe com legumes. Para acompanhar, hogao, espécie de salsa de tomate. “Pode ser servido como um caldo pedaçudo ou separando a carne dos legumes, com arroz e salada.”

Nani Rodrigues Nani Rodrigues

Nani Rodrigues (/)

A CLAUDIA, Yurley ensinou esta deliciosa iguaria. Confira:

Sancocho de frango

Nani Rodrigues Nani Rodrigues

Nani Rodrigues (/)

Ingredientes

.1 frango inteiro em pedaços (descarte apenas a carcaça)
.3 dentes de alho picados
.3 talos brancos de cebolinha
.3 tomates maduros picados
.Sal e pimenta-do-reino moída a gosto
.3 bananas-da-terra (verdes, de preferência) em bastões
.1/2 quilo de mandioca em bastões
.3 espigas de milho em pedaços
.1/2 quilo de batata em bastões
.1 quilo de abóbora cabotiá em bastões
.3 colheres (sopa) de coentro picadinho

Para o hogao

.1/2 quilo de tomate picadinho
.1/2 quilo de cebola picadinha
.2 dentes de alho picadinhos
.1/4 de xícara de azeite
.Sal a gosto 

Modo de preparo

Em uma panela com 1 litro e meio de água, cozinhe em fogo médio o frango com o alho, a cebolinha, o tomate, sal e pimenta por dez minutos. Junte a banana, a mandioca e o milho. Tampe e cozinhe por 20 minutos. Adicione a batata e a abóbora. Ferva por 15 minutos ou até que o frango fique macio – não deixe que os legumes desmanchem. Finalize com o coentro, misture e reserve. 

Prepare o hogao 

Em uma panela, em fogo médio, refogue todos os ingredientes por dez minutos. Sirva como acompanhamento.

Entenda mais sobre as histórias de nossas personagens, as mulheres refugiadas no Brasil:

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s