A cada dez mulheres mortas por violência, três já haviam sido agredidas

Estudo foi feito pelo Ministério da Saúde

A cada dez mulheres que morreram no Brasil vítimas de violência, três já eram agredidas frequentemente, revela um estudo do Ministério da Saúde. O levantamento foi feito cruzando registros de óbitos com atendimentos na rede pública entre os anos de 2011 e 2016.

“Vimos que essas mulheres já tinham recorrido aos serviços de saúde, apresentando ferimentos de agressões”, disse a diretora do Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis da pasta, Maria de Fátima Marinho Souza, ao Estadão. 

Segundo ela, deve haver um reforço na rede assistencial para casos de agressão contra a mulher. “Se medidas de proteção tivessem sido adotadas, talvez boa parte desses óbitos pudesse ter sido evitada.”

A pesquisa comparou o risco de as mulheres vítimas de violência que já haviam procurado atendimento de saúde morrerem em contraposição àquelas que nunca tinham buscado o serviço. Entre as adolescentes, o risco de morte por suicídio ou homicídio foi 90 vezes maior entre as jovens que já haviam sofrido agressão.

No período analisado, em média três mulheres que já haviam sido atendidas por serviços de saúde morreram por dia no país. Elas buscavam ajuda para tratar hematomas, fraturas e outras lesões.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
Aceito receber ocasionalmente ofertas especiais e de outros produtos e serviços do Grupo Abril.
Política de Privacidade