Mulher evita estupro usando técnica que aprendeu no trabalho

Americana havia aprendido tática poucas semanas antes em aula de defesa pessoal. "Hoje não, filho da p**", gritava enquanto se defendia.

“Meu pior pesadelo de corrida tornou-se realidade” escreveu a americana Kelly Heron, 36 anos, em seu perfil Instagram na semana passada. Moradora de Seattle, no estado norte-americano de Washington, ela conseguiu escapar de uma tentativa de estupro graças à técnica aprendida em aula de defesa pessoal no trabalho.

Leia mais: Defesa pessoal: 4 movimentos básicos para detonar calorias

No domingo (03), ela estava treinando para uma maratona no parque Golden Gardens e precisou parar para ir ao banheiro. Um homem estava escondido na cabine ao lado e entrou no boxe que ela estava para abusar sexualmente de Kelly. Então, como relata na publicação, ela reagiu com chutes, socos, arranhões e muita gritaria. “Hoje não, filho da p**”, esbravejava a americana enquanto golpeava o desconhecido.

“Ainda bem que eu tive aulas de defesa pessoal no meu trabalho e usei tudo que aprendi nela”, relata antes de comemorar, “minha cara está arranhada, meu corpo está machucado, mas minha alma está intacta”. Na imagem compartilhada, ela mostra seu rosto machucado e sua trajetória até o banheiro, registrada por um aplicativo de corrida.

O homem foi identificado como Gary Steiner. Ele mora ao lado do parque e já havia sido pego por outros casos de agressão sexual.

My biggest running nightmare became reality- 4 miles into my long run Sunday afternoon, I stopped to use the restroom and was assaulted by a man hiding in a stall (that is my GPS in red lines). I fought for my life screaming("Not today, M**F**er!"), clawing his face, punching back, and desperately trying to escape his grip- never giving up. I was able to lock him in the bathroom until police arrived. Thankfully I just took a self-defense class offered at my work and used all of it. My face is stitched, my body is bruised, but my spirit is intact. #NTMF #fightingchanceseattle #ballard #runnersafety #marathontraining #womensselfdefense #myballard #fightlikeagirl #fightback #nottodaymotherfucker #youcantbreakme #instarunners #garmin #garminvivosmarthr

A post shared by Kelly Herron NTMF 💪🏼🏃🏻‍♀️ (@run_kiwi_run) on

Em uma outra publicação, feita na terça-feira (07), ela mostrou o rosto se recuperando e as marcas roxas que ficaram em seu corpo após o embate. “Eu não poderia ficar em silêncio, ser uma vítima anônima – existe uma mensagem de sobrevivência que é importante demais para permanecer não dita“, escreveu.

Ainda abalada com o ocorrido, no sábado (11), Kelly publicou uma foto de Gary Steiner acompanhada da legenda “Lute como um selvagem! Talvez eu pague sua fiança de 750 mil dólares apenas para deixar o meu grupo de corrida terminar o trabalho”.

Nos comentários das fotos, a maratonista recebeu o apoio de amigo e também de centenas de desconhecidos que ficaram maravilhados com sua garra e coragem,

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s