Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Mulher entra em trabalho de parto durante voo com apenas 25 semanas de gestação

Voo foi desviado e bebê nasceu quatro minutos após chegar em hospital; mãe e filha passam bem

Por Ana Carolina Castro - Atualizado em 22 out 2016, 15h34 - Publicado em 30 out 2015, 13h43

Um bebê nasceu quatro meses antes da data prevista em um hospital em Dublin após sua mãe entrar em trabalho de parto durante um voo transatlântico.

Jenny Drake, de Nashville, estava voltando de uma viagem rápida com o marido para Paris quando entrou em trabalho de parto apenas uma hora após decolar.  A pequena Zoe Irlanda nasceu na 25ª semana de gestação pesando apenas 220 gramas

Após uma equipe de médicos a bordo identificar que a passageira estava em trabalho de parto, todos na aeronave se envolveram em uma verdadeira corrida para levá-la a um hospital.

“Eu estava tentando de tudo para me convencer de que não era de trabalho de parto, que era apenas de contrações de Braxton Hicks [falsas dores de parto]”, contou Jenny ao Daily Mail.  Ao perceber que o intervalo entre as contrações estava cada vez menor, um comissário de bordo perguntou se havia algum médico a bordo. Oito pessoas logo se prontificaram a ajudar. “Eu estava realmente com sorte”, divertiu-se. O voo da American Airlines  foi desviado para Dublin e o casal conseguiu chegar ao hospital apenas quatro minutos antes de Jenny dar à luz. Para homenagear o país onde a menina nasceu, o casal colocou Irlanda como seu nome do meio.

Continua após a publicidade

Foto: Reprodução / Daily Mail
Foto: Reprodução / Daily Mail

“Eu estava apavorada. Meu maior medo era que se ela nascesse no avião. Ela ainda era tão pequena e seus pulmões não estavam devidamente desenvolvidos. Eu só estava tentando mantê-la dentro de mim, mas é mais fácil dizer do que fazer. Só ficava pensando: “Por favor, deixe-me tê-la em um hospital”, porque cada minuto sem oxigênio conta”, contou Jenny.

Felizmente mãe e filha passam bem e o quadro do bebê é estável. Por conta do parto prematuro, a pequena Zoe deverá ser mantida internada em Dublin por  mais alguns meses até que tenha ganhado mais peso.

Uma página nas redes sociais foi criada para ajudar o casal a arrecadar dinheiro. Os fundos serão revertidos para custear os gastos médicos e de hospedagem da família. Criada há apenas três dias, a página já angariou cerca de 7 mil euros.

Publicidade