“Só pensava nos meus três filhos”, diz mulher empurrada no metrô

Jussara Araújo de Souza não conhecia o agressor e teve sorte de sair viva

Os moradores da cidade de São Paulo ficaram assustados esta semana com o caso da mulher empurrada na Linha 1-Azul do metrô na terça-feira (09). Jussara Araújo de Souza, de 23 anos, atendente de uma rede de fast-food, por sorte caiu no vão entre os trilhos e saiu viva do episódio. O agressor, Sebastião José da Silva, de 55 anos, não a conhecia e disse na delegacia que “ouviu vozes” orientando-o a empurrá-la para os trilhos.

Em conversa com Veja.com, a jovem diz que, enquanto o metrô estava em cima dela, sua família foi seu principal pensamento. “Eu só pensava nos meus três filhos e no meu marido. Comecei a gritar por socorro e chorava muito. Ouvi as pessoas me pedirem calma, para eu ficar quieta e não me mexer, que logo iriam me tirar dali”, lembra.

 “Não percebi nada. Quando me dei conta, já estava no chão, lá embaixo. Não tive tempo de me mexer, foram frações de segundos. Só consegui olhar para cima e contei quatro vagões passando por mim até o trem parar”, diz sobre o momento em que foi empurrada. 

Com a queda, Jussara sofreu um rasgo na altura da panturrilha, onde levou 30 pontos, e ganhou alguns hematomas, mas se recupera bem.