Mostra do ‘Ilê Aiyê’ no Itaú Cultural, em SP, homenageia história do bloco

O primeiro bloco afro de Carnaval do Brasil exaltará sua trajetória em uma mostra que vai até o dia 6 de janeiro

Ancestralidade, negritude e representatividade. Essas são as características do Ilê Aiyê, primeiro bloco de Carnaval do Brasil composto somente de negros. Criado em novembro de 1974 em Salvador, o grupo tem buscado expandir a cultura afro-brasileira. E é parte disso que está na Ocupação Ilê Aiyê, que homenageará a trajetória da agremiação, desde sua criação até a atualidade, no Itaú Cultural.

Entre os itens exibidos, há uma série de fotos feita especialmente para a exposição, entrevistas em vídeo com personagens históricos do bloco e instrumentos de percussão, como repiques, marcações e caixas. Mas, segundo a jornalista Val Benvindo, 28 anos, a importância do Ilê Aiyê vai muito além das batucadas.

Filha do diretor Vivaldo Benvindo e sobrinha do presidente e um dos fundadores, Antônio Carlos dos Santos, o Vovô do Ilê, ela diz que está na associação desde que se conhece por gente e que é responsável por sua consciência negra e feminina. “Eu me orgulho de ser quem sou”, afirma.

As memórias do bloco, que até hoje conta somente com integrantes negros, poderão ser visitadas até o próximo dia 6 de janeiro de 2019, com entrada gratuita. O percurso da mostra, instalada em uma área no térreo, é dividido em quatro núcleos que levam as cores do grupo baiano: amarelo, preto, vermelho e branco.

Siga CLAUDIA no Instagram