Menina morre após ser isolada por estar menstruada

O caso aconteceu no Nepal, onde a prática é proibida desde 2005

A adolescente nepalesa Roshani Tiruwa, 15 anos, morreu sufocada após acender uma fogueira para manter aquecida no último dia 21.  Seu corpo foi achado por seu pai dentro de uma construção precária, feita com pedras e lama, no vilarejo de Gajra, a 440 km da capital Katmandu. Roshani foi obrigada a ficar no barraco porque estava menstruando.

O banimento faz parte de uma antiga tradição hindu conhecida como chhaupadi. Segundo a crença, mulheres que estão menstruando ou que acabaram de dar à luz não devem participar das atividades sociais e familiares porque são consideradas impuras. A chhapaudi dita o que uma mulher pode comer, onde ela pode dormir, com quem ela pode interagir, onde ela pode ir e por quem ela pode ser tocada enquanto está menstruando. Além disso, sua alimentação é controlada e o consumo de leite está proibido. A mulher que desobedece as recomendações pode levar destruição à família e trazer sofrimento à comunidade, como desastres naturais, por exemplo.

Leia mais: Menstruação ao redor do mundo: o TABU ainda existe

Em muitos casos, os barracos para onde são banidas são compartilhados com o gado e seus excrementos e, às vezes, ficam longe dos vilarejos. Esses locais podem ficar bastante frios durante o inverno ou sufocantes no verão.

A Corte Suprema do Nepal considerou a Chhapaudi ilegal em 2005, mas a prática ainda acontece na parte ocidental do país. Ativistas dizem que as baixas taxas de desenvolvimento, o alto índice de analfabetismo, a desigualdade de gênero e a tradição comunitária contribuem para a situação.

Leia mais: Assista: comercial de absorventes quebra os padrões sobre menstruação

A Chhaupadi está relacionada a uma série de doenças psicolóigcas e físicas. Pesquisas da organização Action Works Nepal (Awon) descobriram que 77% das meninas e mulheres sentiam-se humilhadas durante os períodos, e dois terços relataram sentir-se sozinhos e com medo quando ficavam em estábulos. A ONU também descreve relatos de diarréia, pneumonia, doenças respiratórias; perigo de ataque de cobras, animais selvagens e homens bêbados; incidentes de abuso e estupro e elevadas taxas de mortalidade infantil e materna, uma vez que tanto a mãe como o bebê são banidos para os barracos após o nascimento.

A polícia do Nepal está investigando a morte de Roshani, mas as autoridades argumentam que é difícil conter esses abusos por estarem tão enraizados na cultura local.