Márcia de Luca conta 7 hábitos simples da ayurveda que melhoram a qualidade de vida

A especialista no sistema de cura mais antigo do mundo e colunista de CLAUDIA ensina as técnicas que podem melhorar sua sensação de bem-estar como comer quando sentir fome e preferir alimentos frescos.

Foto: Srdjan Pav/Thinkstock/Getty Images

A ayurveda, o sistema de cura mais antigo do mundo, ensina que a causa número 1 das doenças é o acúmulo de toxinas no organismo. E ensina que os cinco sentidos são nossos portais de comunicação com o Universo. Quer dizer que acumulamos toxinas com as cenas de violência que vemos, o excesso de decibéis que escutamos, a falta de olhos nos olhos e de toques de carinho no cotidiano corrido, a poluição que inalamos e os alimentos repletos de agrotóxicos que ingerimos.

Por sorte, a ayurveda ensina hábitos simples que nos ajudam a minimizar danos e ter mais qualidade de vida. Para começar, o sistema indiano considera a alimentação uma ferramenta-chave para obter saúde. Não é só o que comemos e bebemos que tem esse poder mas também a forma como nos alimentamos. A hora da refeição é sagrada e deve ser tratada como tal. É preciso se permitir vivenciar o momento presente, sentir os sabores devagar e com prazer, mastigar bem e só engolir comida em estado pastoso. A seguir, aprenda as técnicas de inteligência do corpo (TICs) que podem melhorar instantaneamente sua sensação de bem-estar.

Coma quando tiver fome.

É preciso, no entanto, saber distinguir a fome de verdade da fome emocional. Todo alimento ingerido sem apetite real não será bem metabolizado pelo organismo. Guie-se por uma escala imaginária: comece a comer quando estiver no nível 2 e pare ao chegar ao 7. Sim, sempre deixe cerca de um terço do seu estômago vazio para ajudar na digestão. A quantidade necessária para nos saciar é a que cabe na concavidade de nossas duas mãos unidas.

Acomode-se.

Sempre coma sentada, em um ambiente calmo e confortável. Nunca inicie a refeição nervosa ou chateada. Nem pense em discutir enquanto se alimenta. Nesse estado de espírito, o organismo libera substâncias que não favorecem a digestão. No caos, metabolizamos o caos.

Nada de TV, tablet, celular nem livros nas refeições.

Comer bem exige atenção e intenção, e isso não é possível se fazemos outras coisas ao mesmo tempo. Sem foco e consciência dos nossos atos, tendemos a comer mais, pois não percebemos se o corpo está satisfeito. A sabedoria do organismo precisa ser ouvida e respeitada.

Adote o gengibre cru.

Cerca de 15 minutos antes da refeição, coma algumas fatias com uma pitada de sal e uma gota de limão para acender seu agni, o fogo digestivo. Ervas e especiarias possuem a mesma capacidade de tornar a digestão mais eficiente. Coloque mais delas em seus preparos.

Prefira alimentos frescos.

Eles são mais ricos em energia vital. Coma-os ligeiramente cozidos, mornos ou quentes. Evite o que é gelado, pois isso diminui seu agni e reduz o poder de nossas papilas gustativas. Resultado: se sentimos menos o gosto, cometemos mais exageros.

Olhe a hora.

Se faz questão de beber ou comer algo gelado, incluindo a saladinha guardada no refrigerador, escolha o almoço, que deve ser visto como a refeição principal, pois é quando o agni está no máximo. Pegue leve no café da manhã e no jantar. Ideal é nem comer nada sólido depois de 20 horas. Vá de sopa, nesse caso.

Tenha sempre uma atitude de gratidão.

Crie o costume de agradecer internamente à natureza o presente do alimento de qualidade que ela lhe oferece todo dia. Isso ajudará a nutrir sua paz interior e a sensação de ser uma pessoa merecedora de tudo de bom. Agora, livre-se de maus hábitos, adicione TICs à sua rotina e sinta a diferença não só no corpo mas na mente e na alma.  

Márcia de Luca conta 7 hábitos simples da ayurveda que melhoram a qualidade de vida Márcia De Luca é especialista em ioga, meditação e ayurveda e uma das idealizadoras do movimento Yoga pela Paz. Em seus textos, tenta mostrar caminhos que integram corpo, mente e espírito.